A Palavra dos Leitores | 14-02-2008 10:59

Prolongamento de horários escolares não resolveu nada

Prolongamento de horários escolares não resolveu nada
Tenho 28 anos, sou Educadora Social e trabalhei quatro anos e meio como coordenadora de um Centro de Actividades de Tempos Livres, em Santarém. Como muitos outros profissionais ligados a esta área, estou desempregada pelo facto do estabelecimento onde trabalhava ter sido forçado a encerrar as portas devido à drástica diminuição do número de crianças inscritas. De facto, o prolongamento dos horários escolares não veio resolver nenhuma situação – os pais ficam de mãos atadas a partir das 17.30h e durante as férias escolares; as crianças ficam stressadas por passarem 8 horas por dia dentro do espaço escolar e os ATL’s vão fechando, engrossando assim a já grande fatia de desempregados.Não quero parecer pessimista, mas com tantos ATL’s a encerrar, as hipóteses de encontrar um trabalho nesta área vão diminuindo. Por outro lado, temos a difícil tarefa de tentar convencer um empregador, numa qualquer entrevista, que um licenciado também consegue e está disposto a trabalhar numa loja, num supermercado ou num escritório, mesmo recebendo uma remuneração inferior àquela que as suas habilitações lhe poderiam proporcionar (pois, porque é preciso pagar as contas e os juros do crédito à habitação). Assim, e enquanto esperamos, vamos coleccionando cursos e programas ocupacionais do Centro de Emprego, desejando que se abra uma janela neste país onde muitas portas se estão a fechar.Patrícia Luís

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo