A Palavra dos Leitores | 02-07-2008 13:28

Devolvam as crianças e ajudem os pais a criá-las

Comentário à notícia "Autoridades retiram três crianças aos pais durante a noite"

Notícia em: http://semanal.omirante.pt/index.asp?idEdicao=345&id=44710&idSeccao=5054&Action=noticiaO MIRANTE, de quem sou assíduo e atento leitor, trouxe na quinta-feira, 26 de Junho de 2008, uma notícia com o título, “Autoridades retiram três crianças aos pais durante a noite” que me deixou sentidamente revoltado e digo já porquê. Nasci em 1945, decorria ainda a Segunda Guerra Mundial. Estávamos em pleno regime Salazarista. Sou o décimo filho, dos onze que os meus pais tiveram. Foram a fome, as dificuldades de toda a ordem e a falta de tudo, que uniram fraternamente estes onze irmãos como poucos no mundo e que amaram os pais com todo o fervor, sentimento, respeito e reconhecimento pelo que trabalharam e sofreram para os criar a todos com a mesma doçura, carinho e grande amor. Como sofreriam meus pais, se lhes retirassem os filhos, frutos do seu amor, só porque na altura viviam abaixo do limiar da pobreza, não tinham casas de banho, andavam descalços, vestiam roupas doadas e remendadas e dormiam todos no mesmo quarto, se àquele cubículo se poderia dar esse nome. A este casal de Foros de Salvaterra, devem ser-lhes devolvidos os filhos que lhes “sequestraram” e levaram para parte incerta e devem ser responsabilizadas as entidades que determinaram tão repugnante barbaridade. Compete ao Governo, ajudar subsidiariamente estes pais se for caso disso, para que os filhos possam ser criados e educados no seu lar, com o amor, que só os pais sabem transmitir.A pobreza não é um crime, e por isso deixo estas perguntas à comissão de Protecção de Crianças e Jovens. Não seriam mais bem empregues subsídios dados aos pais que amam e querem criar os filhos com ternura, do que aqueles que suportam as despesas dos que preferem abortar? Quantos filhos já retiraram a pessoas abastadas que os maltratam? Quantos filhos já retiraram a pessoas de etnia cigana, que vivem miseravelmente em barracas sem o mínimo de condições ou que andam por aí de lado para lado, descalços pedindo esmola e a dormir ao relento?Casimiro Dias Luís

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo