A Palavra dos Leitores | 14-01-2010 11:53

Câmara da Chamusca vendeu antigo moinho da Estrada do Meio

Câmara da Chamusca vendeu antigo moinho da Estrada do MeioAinda vamos assistir à venda do edifício do Município da Chamusca, que pelos vistos também não é preciso! O moinho além do seu valor histórico era também um ponto de referência, tanto para as pessoas que trabalham na agricultura como para as pessoas que vêm de fora, visto no campo não haver placas sinaléticas.José António Carapinha PaulinoO que fica para preservar o passado?Eu pergunto ao presidente da câmara, que eu e tantos outros elegemos, se na Chamusca há alguma coisa que deva ser preservada para memória futura, pois ele tem atacado o nosso património a seu belo prazer com o discurso do não tem valor. A minha memória recorda o professor António Matias a catalogar pedras e pedaços de tijolos dizendo que tinham valor, afinal foi tudo vendido em saldos com o argumento da falta de valor. Tenho 46 anos e lembro-me do moinho. Era aí que via os trabalhadores a matarem a sede aos animais e foi aí o meu primeiro contacto com os ranchos de alentejanos que vinham para o trabalho. Quero que os meus filhos saibam o que foi o passado. Só a estátua de homenagem aos operários agrícolas é que tem valor? Talhas, arados, cabaças, tanta coisa antiga que entregaram ao nosso presidente para a preservação da memória futura e que ele vendeu a preços irrisórios. Fátima Lino

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo