A Palavra dos Leitores | 18-12-2011 09:41

Criar aves para vender é um bom negócio em tempo de crise

É com alguma tristeza que leio esta notícia pois não corresponde à verdade no que diz respeito aos criadores de aves de concurso. Diz a verdade sim em relação aos revendedores de aves, pois na verdade compram muito barato, sem despesas em aquisição de reprodutores de alta qualidade, alimentação, suplementos, suplementos pigmentantes, acessórios, instalações de qualidade e depois vendem ao triplo ou mais do valor investido, tendo como despesas exclusivamente as sementes e algumas gaiolas. Os criadores pelo seu lado têm estas despesas todas e pela lei em vigor, no caso de ave abrangidas pelo anexo 2 e anexo 3 do C.I.T.E.S. já têm de passar recibo em caso de cedência ou venda de aves e apresentar no fim de cada época aos órgãos competentes. Também têm de estar registados no I.C.N. como criadores dessas espécies, registando todas as aves que são possuidores. Os custos são elevadíssimos mas os revendedores não precisam nada disso, vendem de qualquer maneira (no geral).No caso dos grandes Psitacideos, aí sim podemos falar de valores altos, mas as despesas na sua criação e manutenção e adquirir os melhores reprodutores ficam por valores enormes, então estamos perante um caso específico mas com os seus custos adjacentes bastante elevados, por exemplo quantas horas se paga a um funcionário para amamentar uma arara bébé, façam as contas e vêm que as aves são vendidas a um preço justo. Gostaria que quando lançassem uma notícia desta natureza aprofundassem bem o assunto.José FernandoNota da redacção: Tem razão apenas em relação ao título que não foi bem escolhido. As pessoas entrevistadas são identificadas não como criadores mas como expositores e comerciantes.http://semanal.omirante.pt/index.asp?idEdicao=525&idSeccao=8701&id=79488&Action=noticia&title=Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo