A Palavra dos Leitores | 31-01-2013 10:14

Alfaias agrícolas na mira dos ladrões

Era bom voltar a (re)ver o estado destas situações gravíssimas, que com a crise só têm piorado. E era fundamental O MIRANTE voltar a falar com alguns dos afectados para dar a conhecer o real ponto a que nós chegámos. Tive conhecimento de que o sr. Paulo Rebelo e a sua mãe D. Isabel viram-se obrigados a abandonar as suas terras, a nível de produção, com grande desgosto e angústia (de quem muito se dedicou e investiu na actividade), pois, já posteriormente a esta notícia, foram vítimas de mais dois roubos. Roubaram alfaias agrícolas, motores de rega... Esta é uma situação extensiva a todos os proprietários de terras naquela zona. No município da Chamusca, nada é feito. A GNR, com os mesmos meios da altura em que a notícia saiu e com o patrulhamento rural inexistente, não consegue garantir e prevenir estas situações. Há que agir e os proprietários destas terras não se podem dar por vencidos e levar o problema a instâncias superiores, se necessário, já que nada é resolvido por parte de quem poderia eventualmente ter competência para tal.L.M. CorreiaNotícia relacionada: http://www.omirante.pt/index.asp?idEdicao=53&idSeccao=516&id=48146&Action=noticia&title=Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo