A Palavra dos Leitores | 05-03-2016 14:01

Contra a violência exercida sobre doentes e familiares

Lamento e reprovo as agressões físicas a médicos, enfermeiros e outras pessoas que trabalham em centros de saúde e hospitais. Lamento e reprovo porque a violência só agrava os problemas e porque são conhecidas as condições de stress e sobrecarga impostas a uma parte significativa desses profissionais (não digo todos porque há alguns que estão à boa vida). No entanto, para ser completamente sincera, só o facto de ser uma pessoa paciente, de temperamento não violento e com a noção muito viva do que acabei de escrever sobre os efeitos perversos do recurso à violência, me tem impedido de fazer o mesmo em determinadas, mas felizmente raras, circunstâncias. Uma coisa é os médicos e enfermeiros poderem estar a passar por situações profissionais complicadas mas outra bem diferente é tratarem os doentes, acompanhantes e familiares com rudeza, falta de humanidade, arrogância provocatória, desprezo profundo e com recurso a violência verbal. O intuito desta minha carta é incentivar todos os utentes dos serviços de saúde a manterem a calma e a recorrerem aos livros de reclamações e até ao envio de exposições, não para as chefias desses serviços que tudo irão encobrir e desculpar, mas a outras instâncias. Recordo que, se não estou em erro, há um período de trinta dias para reclamar. Fixem o nome da pessoa e reclamem sempre. Ao fazerem isso estão a ajudar a melhorar o serviço e a ajudar os bons profissionais que, são a grande maioria. Beatriz Melão : http://semanal.omirante.pt/index.asp?idEdicao=742&id=114720&idSeccao=13534&Action=noticia#.VthII5yLTIU

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo