Arquivo | 05-04-2006 11:02

Investimentos devem servir para promover a cidade

O investimento feito pela Câmara de Torres Novas em equipamentos culturais e desportivos durante o último mandato deverá ser justificado através da realização de eventos que promovam o nome da cidade e as suas potencialidades. A intenção foi proferida por António Rodrigues (PS), presidente da autarquia, numa conferência de imprensa realizada esta segunda-feira no Teatro Virgínia, com o intuito de divulgar a programação deste equipamento para o próximo trimestre.António Rodrigues anunciou a integração das Festas da Cidade no plano estratégico do Teatro Virgínia, salientando que essas comemorações “deverão ser o ponto alto de uma programação regular”. Ainda sobre o mesmo assunto, o autarca revelou que as Festas da Cidade terão este ano a duração de quinze dias, mais uma semana que nos anos anteriores. Uma alteração que aos olhos de António Rodrigues não irá engrossar o orçamento: “Este ano as festas terão uma filosofia diferente. Serão melhores, irão durar mais tempo e irá gastar-se metade do orçamento que se gastava no passado”, garantiu o presidente.Durante a conferência de imprensa, António Rodrigues focou a necessidade de complementaridade entre o Teatro Virgínia e o Palácio dos Desportos, de forma a rentabilizar os dois espaços. Nesse sentido, no decorrer na Final Four da Liga dos Campeões em Hóquei Patins, entre os dias 5 e 7 de Maio, o Palácio dos Desportos abrirá também as portas a diferentes iniciativas culturais que deverão anteceder os três jogos que se irão realizar em Torres Novas. Política de qualidade e formação de públicosAcerca da programação do Teatro Virgínia para o próximo trimestre, o presidente da câmara garantiu que vai ser mantida uma “política de qualidade” dando continuidade ao trabalho desenvolvido durante os primeiros seis meses de actividade daquela sala de espectáculos. “Temos tido bons resultados, por isso vamos seguir a mesma lógica. As únicas coisas que poderão ser revistas serão as questões orçamentais”, adiantou António Rodrigues.O objectivo da formação dos públicos continua a ser a grande aposta do Teatro Virgínia, que pretende, através dos serviços educativos, promover vários espectáculos para crianças, famílias e para o público em geral. Uma postura que, segundo António Rodrigues, deverá ser compensada a médio prazo: “A aposta da câmara neste tipo de espectáculos serve para que daqui a três anos possamos dizer que Torres Novas tem uma forma diferente de ver o teatro. É um caminho difícil, mas que tem de ser feito, porque o concelho esteve durante muitos anos afastado da cultura”.Para abrir a programação do próximo trimestre, no dia 8 de Abril, a direcção do Teatro Virgínia apostou na peça “Orgia”, de Pier Paolo Pasolini, encenada por Pedro Marques. Segundo o director artístico do teatro, João Aidos, trata-se de “uma obra de excelência e de um texto extremamente forte a que é impossível ficar indiferente”. Carla Paixão

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo