Arquivo | 05-04-2006 11:02

Ratos fecham padaria de Vialonga

Ratos fecham padaria de Vialonga

As autoridades encontraram ratos numa padaria de Vialonga que foi encerrada. Três restaurantes chineses do concelho de Vila Franca tinham produtos impróprios na cozinha e foram alvo de contra-ordenações.

Vários ratos foram encontrados numa padaria de Santa Eulália, Vialonga, no concelho Vila Franca de Xira, pelos inspectores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) numa operação de fiscalização. A unidade fabril foi encerrada e alvo de um processo de contra-ordenação. Segundo apurámos trata-se de uma padaria antiga que esteve encerrada um tempo e foi depois recuperada e reaberta por um novo proprietário.O MIRANTE tentou falar com a gerência da padaria, mas não foi possível até ao fecho desta edição.A visita a 117 padarias e pastelarias de todo o país nas madrugadas 28 e 29 de Março teve como objectivo verificar as condições de funcionamento e higiene das unidades fabris e estabelecimentos. Das 117 unidades fiscalizadas, 48 foram alvo de contra-ordenações e cinco foram encerradas. As 46 brigadas no terreno apreenderam mais de cinco mil quilos de géneros impróprios avaliados em mais de 10.300 euros.Uma outra inspecção passou a pente fino dezenas de restaurantes chineses e verificou anomalias em três estabelecimentos do concelho de Vila Franca de Xira. Restaurantes de Alverca, Póvoa de Santa Iria e Vila Franca de Xira foram alvo de processos de contra-ordenação, mas a ASAE recusou identificar os estabelecimentos e revelar pormenores.A Operação Oriente levou ao encerramento de 14 restaurantes, 10 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo. Foram instaurados três processos-crime e 116 contra-ordenações. Foram ainda apreendidas 2,5 toneladas de produtos com problemas. Segundo o gabinete de imprensa da ASAE, os principais problemas foram detectados nas carnes de vaca, pato e galinha. A falta de condições de higiene foi verificada em grande parte dos restaurantes onde os inspectores viram baldes de lixo sem tampa, alguidares sujos, louça lavada de forma deficiente e ausência de sistema de lavagem de mãos na cozinha.Nove em cada dez restaurantes inspeccionados apresentaram inconformidades com a legislação.As contra-ordenações levantadas pelas brigadas da ASAE podem levar à aplicação de coimas. Os valores podem variar, dos 25 aos 7500 euros, dependendo de se tratar de pessoas singulares ou colectivas.Quanto aos processos–crime instaurados por suspeita de comercialização de produtos com problemas, cabe ao Ministério Público a peritagem e investigação. Os comerciantes que vierem a ser acusados podem incorrer numa pena até três anos de prisão.Nelson Silva Lopes

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo