Arquivo | 06-01-2010 16:21

Novo lar é objectivo da Santa Casa da Misericórdia de Benavente

Novo lar é objectivo da Santa Casa da Misericórdia de Benavente

A construção do lar da Maxuqueira, na freguesia da Barrosa, é um dos objectivos dos novos corpos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Benavente. A instituição ainda tem esperança de conseguir apoio para a estrutura que vai albergar os seniores do concelho.

O novo lar de idosos que a Santa Casa da Misericórdia de Benavente quer construir na Maxoqueira, freguesia da Barrosa, é um dos grandes objectivos da instituição que apresentou este ano uma candidatura ao Programa Operacional do Potencial Humano. A instituição ainda não obteve o parecer favorável, mas o recém-empossado provedor da Santa Casa da Misericórdia, Joaquim Norte Jacinto, (ver caixa sobre a tomada de posse dos novos corpos sociais) tem esperança de que ainda seja possível concretizar o investimento com apoio público. “Apresentámos a candidatura, mas têm sido arranjados alguns estratagemas para que o lar não seja financiado, o que é mau porque isso ia resolver o problema de muitas famílias do concelho”, disse a O MIRANTE. O provedor revela que a Misericórdia tem a firme intenção de avançar com a construção do lar nem que para isso tenha que vir a alienar património, solução que não é desejável. “As pessoas não fazem as doações dos bens para que depois a Misericórdia os venha alienar, mas no interesse da população valerá a pena enveredar por ai. Temos muita gente em casa e não temos capacidade para os receber”.Se a proposta, no valor de cerca de dois milhões de euros for aprovada, o Estado assegura 60 por cento do financiamento, a Câmara Municipal de Benavente 30 por cento e a instituição suportará o restante. “Com este lar vamos duplicar a capacidade da instituição”, afirma o coronel Norte Jacinto.A intenção é construir um lar rodeado de sobreiros, vegetação rasteira, coelhos bravos, pássaros e cegonhas numa herdade onde se respira ar puro e longe da confusão da vila, aproveitando o edifício principal do antigo centro de emissores da Raret na Maxoqueira, Barrosa, como O MIRANTE noticiou em Abril.O novo lar terá capacidade para 58 idosos. O projecto da autoria doa arquitecto Estêvão Calado prevê o aproveitamento dos dois pisos existentes e a criação de um terceiro. O lar será implementado numa propriedade com 156 hectares (área superior a mais de 200 campos de futebol) e aproveita os acessos, a zona envolvente e uma vedação que garante a segurança do espaço.A área de construção é de 1563 m2 e a área coberta de 2246 m2. O lar vai ter quartos, individuais e duplos, equipados com casa de banho privativa e um pequeno espaço de estar. Haverá cozinha, refeitório, sala de estar, lavandaria, salas de arrumos, espaço para administrativos e gabinete médico com enfermaria. Não vai faltar um cabeleireiro com já acontece no actual lar que acolhe 65 idosos, sendo 15 utentes do Centro de Acolhimento Temporário de Emergência a Idosos (CATEI), um espaço reservado pela segurança social para acolher idosos em risco e situações de emergência. A instituição apoia 27 utentes em centro de dia e 42 na valência de apoio domiciliário.A Santa Casa da Misericórdia – um dos maiores empregadores do concelho – tem 120 funcionários (incluindo os colaboradores dos serviços de saúde que presta) e gere um orçamento de 3,5 milhões de euros, valor que está previsto para 2010. O novo lar prevê a criação de mais 35 postos de trabalho.Novos órgãos sociais tomaram posseO coronel Joaquim Norte Jacinto vai dar continuidade ao trabalho que desenvolveu como provedor nos últimos três anos na Santa Casa da Misericórdia de Benavente. Os novos corpos sociais da instituição, que conta com cerca de 500 irmãos, tomaram posse numa cerimónia realizada ao final da tarde de segunda-feira, 4 de Janeiro, na sede da instituição, na sequência das eleições que decorreram a 30 de Novembro.Na mesa administrativa mantém-se Joaquim Côdea, Telmo Barreiros, a que se juntam dois novos dirigentes: João Guerra e António Barreiros Almeida. Como suplentes ficam António Abrantes, David Moura e Diogo Oliveira.Avelina Leal Oliveira é a nova presidente da mesa da assembleia que substitui António Coimeiro no cargo. Cristina Espadanal Melo, Carlos Trindade e Paula Frieza, eleita pela primeira vez, completam a equipa. José Ilídio Barreiros, que se junta pela primeira vez ao grupo, e Miguel Campos são suplentes.O conselho fiscal vai ser dirigido por Rui Nortista, Mário Machado e Francisco Paim, eleito pela primeira vez. São suplentes José Branco, António Raio e Donaldo Ildefonso.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo