Arquivo | 07-03-2012 14:40

No ano passado estagiaram 81 jovens nas câmaras de Azambuja e Vila Franca

Concordo com o presidente da Associação Empresarial dos concelhos de Vila Franca de Xira e Arruda dos Vinhos (ACIS), Carlos Monteiro, quando diz que os estágios são uma boa forma de os jovens “ganharem traquejo” no mundo empresarial mas que, “muitas vezes o estagiário dá mais trabalho a quem está dentro de uma empresa do que aquilo que produz”. Não tenho uma empresa mas trabalho numa que aceita regularmente estagiários e confirmo que essa situação acontece com muita regularidade. Da minha experiência e por ter ficado responsável por muitos estagiários, posso dizer que são mais aqueles que me deram trabalho do que os que me deram prazer orientar. Falo só por mim mas acho difícil ser muito diferente noutras empresas. A maior parte dos licenciados que vão estagiar não mostra qualquer interesse em aprender e muitos até se mostram arrogantes assumindo uma postura superior o que ainda realça mais a sua impreparação. Sei que noutros tempos as pessoas entravam nas empresas para aprendizes ainda muito jovens e aprendiam ali mesmo, no dia a dia, as suas profissões. Nos nossos dias as coisas não podem ser assim e por isso acho os estágios muito úteis mas considero que as entidades patronais devem acabar imediatamente com o estágio de todos aqueles que não se mostram disponíveis para aprender. E não defendo que os estagiários tenham que ficar todos a trabalhar na empresa. Ficam os que são bons e mesmo esses só se as empresas precisarem deles. Não deve haver qualquer obrigação. Raul Mendes Sinfrónio

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo