Arquivo | 14-01-2013 16:08

PS de Setúbal diz que reforma da presidente da Câmara de Palmela mostra falta de sintonia com o PCP

A presidente da Federação de Setúbal do PS, Madalena Alves Pereira, disse à Lusa que a reforma da presidente da Câmara de Palmela aos 47 anos mostra "falta de sintonia com o PCP"."A decisão é individual e responsabiliza apenas a sua requerente, mas é preocupante a falta de sintonia entre a presidente e o seu partido, o PCP, que se demarcou desta decisão", disse a responsável, em declarações à Lusa.Madalena Alves Pereira referiu que em 2005 foi o Governo socialista que aprovou a lei para impedir situações como a da autarca de Palmela."A lei aprovada pelo Governo socialista tinha como objetivo credibilizar a atividade política e por isso estamos à vontade para falar sobre a lei que impede este benefício", defendeu.A presidente da Câmara de Palmela, Ana Teresa Vicente (PCP), vai reformar-se no próximo mês de fevereiro, poucos dias depois de completar os 47 anos, mas já fez saber que irá continuar na presidência do município de Palmela até ao final do terceiro e último mandato.Segundo um comunicado da Câmara de Palmela, Ana Teresa Vicente decidiu solicitar a reforma, dado que reúne todos os requisitos legais após 26 anos de trabalho.O documento salienta que a autarca comunista só irá usufruir da pensão de reforma da Caixa Geral de Aposentações, no valor de 1.859,67 euros, depois de concluir o mandato autárquico.Ana Teresa Vicente é uma das presidentes de câmara do distrito de Setúbal a cumprir o último mandato, a par de Maria Emília de Sousa (Almada), Maria Amélia Antunes (Montijo), Carlos Beato (Grândola), Alfredo Monteiro (Seixal), Vítor Proença (Santiago do Cacém) e Manuel Coelho (Sines).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo