Arquivo | 27-01-2013 00:57

"Sairíamos todos perdedores se fechássemos as nossas economias" – Durão Barroso

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, apelou hoje à abertura económica, durante a Cimeira União Europeia/América Latina e Caraíbas (UE/CELAC) que decorre em Santiago do Chile, defendendo que, a longo prazo, todos saem prejudicados pelo proteccionismo."O tema central desta cimeira, o investimento, é de uma extrema relevância. No entanto, abertura e segurança jurídica são condições essenciais para investimentos de qualidade", afirmou o presidente da Comissão Europeia.Perante dezenas de altos representantes europeus, latino-americanos e caribenhos, Durão Barroso sustentou que "a existência de quadros regulamentares transparentes e estáveis, que respeitem as normas internacionais, incluindo as normas da Organização Mundial do Comércio", é fundamental para a atracção de investimentos de qualidade."Economias abertas, que permitam mais comércio e mais investimentos, são um importante factor de crescimento e de desenvolvimento económico e social. A verdade é que, no longo prazo, sairíamos todos perdedores se fechássemos as nossas economias. E tal seria errado, não apenas economicamente, mas também estaria em contradição politicamente com o espírito da nossa parceria", acrescentou.Num discurso em que falou em castelhano e em português, Durão Barroso assinalou que "a União Europeia [UE], apesar de todos os desafios que enfrentou, se mantém como a principal fonte de investimento" na América Latina, "com mais de 40% do total do investimento directo estrangeiro".O antigo primeiro-ministro português considerou "impressionantes" os números desse investimento. "Com mais de 385 mil milhões de euros, os 'stocks' de investimento europeu na América Latina são superiores aos 'stocks' no Japão, Rússia, China e Índia reunidos", referiu.Durão Barroso apontou a América Latina e as Caraíbas - comunidades que juntam 33 países do continente americano, ficando apenas de fora os Estados Unidos e o Canadá - como "o primeiro parceiro estratégico regional da UE" e afirmou que esta "não poderia ter melhor parceiro".O presidente da Comissão Europeia congratulou-se com os acordos comerciais entre a União Europeia e países da América Latina e saudou o desenvolvimento económico, social e político desta região na última década.Durão Barroso sustentou que, apesar dos diferentes momentos em que a UE e a América Latina e as Caraíbas se encontram em termos de ciclo económico, o reforço das relações económicas entre as duas regiões é do interesse de todos."A crise global e as suas ramificações demonstraram que nenhuma região pode prosperar às custas de outra nem ficam imunes ao que acontece nas outras regiões", afirmou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo