Arquivo | 29-01-2013 19:07

Shopping de S. João da Madeira onde Castello Lopes quer fechar salas tem de ter cinema

A Câmara de S. João da Madeira afirmou hoje que o acordo com a Sonae Sierra para construção do centro comercial 8.ª Avenida obriga à manutenção de salas de cinema, pelo que essa deverá "honrar o compromisso".A posição da autarquia surge no seguimento do anúncio de que a distribuidora Socorama Castello-Lopes se prepara para fechar 49 das 106 salas de cinema que explora em todo o país, inclusivamente as cinco actualmente existentes em S. João da Madeira.Em comunicado, a autarquia considera que o centro comercial 8.ª Avenida deverá manter as suas salas de cinema e explica: "As condições de venda do terreno onde está construído o Centro Comercial 8.ª Avenida impunham ao comprador a obrigação de funcionamento de salas de cinema"."Estas condições mantêm-se", continua a ler-se no comunicado, "e a Câmara Municipal de S. João da Madeira está confiante de que a Sonae Sierra honrará os seus compromissos".O anunciado encerramento das salas geridas pela Castello-Lopes afecta oito complexos de cinema localizados nos centros comerciais que o grupo Sonae Sierra detém em Viana do Castelo, Covilhã, Leiria, Loures, Seixal, Guia e Ponta Delgada, para além do já referido caso de S. João da Madeira.Segundo revelara já à Lusa um responsável da Castello-Lopes, o encerramento desses espaços conduzirá ao despedimento de 75 trabalhadores até à próxima quinta-feira, final do mês.No caso específico de S. João da Madeira, as salas em questão funcionam num centro comercial construído em terrenos que, antes da sua aquisição pela Sonae Sierra, eram propriedade da Câmara Municipal.É essa a justificação para que, nos termos do contrato, a autarquia tenha imposto como condição do negócio que o centro comercial a construir nessa área disponibilizasse sempre salas de cinema.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo