Arquivo | 02-10-2013 09:23

Desemprego em Espanha aumentou 0,54% em Setembro

O número de desempregados em Espanha subiu 0,54%, ou 25.572 pessoas, em Setembro, para um total de 4.724.355 inscritos nos centros de emprego, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério do Emprego e Segurança Social.O aumento do desemprego interrompe um período de seis meses consecutivos em que o desemprego em Espanha caiu.Em Agosto, o desemprego tinha diminuído apenas em 31 pessoas, mas foi a primeira vez desde 2000 que o desemprego baixou neste mês, segundo o Governo.Desde o início do ano, o número de desempregados caiu em 124.368, o que representa a maior queda neste período desde 2006.Prejudicial para a estatística é também o dado do número de trabalhadores inscritos na Segurança Social, ou seja a trabalhar, que caiu em 22.242.Assim, no final de Agosto estavam a trabalhar em Espanha um total de 16.305.445 pessoas.Setembro é, habitualmente, um mês onde o desemprego sobe e desde o arranque destes registos, em 1996, só se registaram três quedas: em 2005, 2006, e 2007, sendo que neste mês no ano passado o desemprego aumentou em quase 80 mil pessoas.Em comunicado, o Ministério de Emprego destaca que o dado representa uma melhoria de 10.000 pessoas na variação média dos meses de Setembro na série histórica.Segundo os dados do Governo, o desemprego baixou em Setembro entre os homens e aumentou nas mulheres tendo o maior aumento ocorrido no sector de serviços.De visita ao Japão, o chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, já tinha antecipado terça-feira que o desemprego tinha aumentado em Setembro, afirmando que "é o melhor dado deste mês em muitos anos".Apesar disso Rajoy admitiu que isso "não é suficiente" e que Espanha tem que "criar emprego e fazê-lo solidamente"."A tendência está a mudar e isso anima-nos a trabalhar com afinco, determinação e coragem", declarou.A dimensão do problema do desemprego em Espanha evidencia-se nos gastos totais dos serviços públicos de emprego que em Agosto pagaram 2.463,8 milhões de euros, menos 7,1% do que em igual mês de 2012.A despesa média mensal por beneficiário, incluídas as prestações à Segurança Social e excluindo o subsídio agrário da Andaluzia e Estremadura, foi de 875,6 euros, menos 42,3 euros (-4,6%) que no ano anterior.Segundo os dados do Ministério do Emprego e Segurança Social, a taxa de cobertura – número dos desempregados que recebem subsidio – era no final de Agosto de 64,46%, menos quase 3 pontos percentuais.Assim, referem os dados, no final de Agosto estavam a receber subsidio 2.879.784 desempregados dos quais 283.148 estrangeiros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo