Arquivo | 18-10-2013 16:23

Efromovich em Lisboa para reuniões nos ministérios das Finanças e da Economia

German Efromovich, investidor e dono do grupo Synergy, que em 2012 foi o único candidato à compra da TAP, esteve em Portugal esta semana e teve reuniões nos ministérios das Finanças e da Economia.Segundo informações recolhidas pela Lusa, German Efromovich chegou a Lisboa na terça-feira e, durante a sua estadia, teve reuniões nos ministérios das Finanças e da Economia, como confirmaram fontes oficiais dos dois ministérios.Confrontada pela Lusa, fonte oficial do gabinete tutelado pela ministra Maria Luís Albuquerque confirmou que Efromovich “teve uma reunião recentemente” nas Finanças. Fonte oficial do Ministério Economia, questionada pela Lusa, também confirmou a realização de uma reunião “esta semana”.A reunião no Ministério da Economia deverá ter decorrido na quarta-feira, enquanto na Finanças deverá ter-se realizado na quinta-feira, de acordo com informações obtidas pela Lusa.O Governo recusou, em Dezembro do ano passado, a proposta de compra do grupo Synergy para a TAP, o único concorrente à privatização da companhia aérea nacional.Segundo adiantou na altura a então secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, a proposta do grupo Synergy para a compra da TAP foi rejeitada, porque não deu "as garantias adequadas"."Não foram cumpridos os requisitos previstos no caderno de encargos", explicou, na altura, Maria Luís Albuquerque, ressalvando, contudo, que a proposta de German Efromovich era "positiva, coerente e alinhada com a estratégia do Governo".A governante explicou ainda que a proposta em cima da mesa significava um encaixe líquido para o Estado de 35 milhões de euros e a recapitalização da empresa superior a 300 milhões, em duas fases, a que acrescia a assunção de um passivo (dívida) na ordem dos 1,5 mil milhões de euros.A venda está suspensa desde então e na proposta de Orçamento do Estado para 2014 o Governo afirma que “continuará a monitorizar as condições do mercado, por forma a relançar o processo de privatização da TAP logo que estejam reunidas as condições propícias para o seu sucesso".Depois de a proposta do grupo Synergy ter sido rejeitada, German Efromovich, investidor e dono do grupo Synergy, admitiu a possibilidade de voltar a concorrer à TAP, apesar de afirmar estar "desapontado e surpreso" com a decisão do Governo.German Efromovich pediu a nacionalidade polaca para cumprir as regras comunitárias que impedem que uma empresa não europeia detenha mais de 49% do capital de uma companhia aérea europeia.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo