Arquivo | 23-10-2013 17:52

Associação da GNR contra intenção do Governo de encerrar centro de formação de Portalegre

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) criticou hoje a intenção do Ministério da Administração Interna em encerrar o Centro de Formação de Portalegre da GNR, manifestando apreensão quanto ao futuro dos militares que aí trabalham.“A APG/GNR não poderia deixar de lamentar tal decisão e de demonstrar, desde já a sua maior apreensão pelos efeitos que esta decisão poderá ter nos profissionais da Guarda que aí prestam serviço e que, caso o encerramento venha a suceder, terão que ser recolocados noutros locais”, refere uma nota da associação profissional.Nesse sentido, exigiu à tutela que “assuma publicamente” quais são as suas intenções e que sejam “salvaguardados os direitos dos profissionais que prestam serviço no Centro de Formação de Portalegre no que se refere a eventuais colocações, caso venham a suceder”.Na terça-feira, a Câmara de Portalegre exigiu ao Governo a manutenção do Centro de Formação da GNR e anunciou que já intercedeu junto do Presidente da República, para evitar o encerramento da escola.A presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira explicou que teve conhecimento do encerramento do centro de formação através de um contacto que manteve com o ministro da Administração Interna.Segundo a autarca, o ministro Miguel Macedo defende que a melhor decisão passa por "juntar" todos os formandos no Centro de Formação da GNR na Figueira da Foz.A agência Lusa contactou o Ministério da Administração Interna, mas ainda não obteve qualquer informação sobre o encerramento do centro.Na nota, a APG refere também que ainda não se conhece como vai ser feita a reorganização da formação na GNR, relembrando que estava agendado um alistamento para 21 de Outubro, mas tal foi adiado, desconhecendo-se quando vai ocorrer e onde será ministrado.A associação profissional diz ainda que a “carência de efectivo na GNR é uma realidade e estavam orçamentados 1.200 novos ingressos para este ano, sendo que apenas entraram 370 novos elementos, havendo um défice de 830 elementos".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo