Arquivo | 29-10-2013 10:13

Bruxelas acolheu a primeira conferência sobre bem estar de cães e gatos

Especialistas de vários países europeus participaram na segunda-feira, em Bruxelas, na primeira conferência europeia sobre o bem-estar dos cães e gatos, em que se abordaram os problemas relacionados com a criação e comercialização, muitas vezes ilegal.O comissário europeu da Saúde e Consumo, Toni Borg, explicou que, a partir dos resultados desta conferência e de um estudo que a Comissão vai realizar, Bruxelas “analisará que acções são necessárias para melhorar o bem-estar dos animais de companhia e a transparência da informação para os consumidores”.No evento participaram representantes das instituições europeias e dos governos nacionais, veterinários, membros de organizações não governamentais (ONG) e professores universitários, que examinaram a situação das mascotes em vários países e as dificuldades que surgem em casos de falta de legislação homogénea na matéria.Borg explicou que, segundo dados da Comissão Europeia, o número estimado de cães e gatos na União Europeia ronda os cem milhões de animais.Mesmo assim, recordou que os estados-membros, autónomos em matéria de bem-estar dos animais de companhia, contam com as suas próprias normas e políticas nesse âmbito.O comissário sublinhou que a partilha das melhores práticas e a cooperação “pode ajudar a encontrar uma solução adequada” para os problemas que existem, que incluem a comercialização ilegal e a selecção genética de certas raças, com os consequentes problemas.Os participantes alertaram, entre outros aspectos, para o “alarmante” aumento do comércio ilegal destes animais na União Europeia, um negócio que pode gerar receitas semanais até 50.000 euros e cujas sanções são “mínimas”, explicou Thomas Meyer, secretário-geral da Federação Europeia da Indústria das Mascotes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo