Arquivo | 01-11-2013 09:06

Benfica SAD regista proveitos operacionais de 88,3 ME em 2012/2013

Os proveitos operacionais da Benfica SAD na época de 2012/13, em que a equipa atingiu a final da Liga Europa de futebol, alcançaram o montante de 88,3 milhões ME (milhões de euros).De acordo com o comunicado enviado pela Benfica SAD na quinta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os rendimentos operacionais (excluindo transacções com atletas) atingiram os 88,3 milhões de euros, um recuo de 3,8% em relação ao período transacto, mas, mesmo assim, o segundo maior valor de rendimentos gerados pela Benfica SAD num período.No relatório, a Benfica SAD salienta que o nível de receitas foi alcançado num momento de recessão económica em Portugal, o que influenciou negativamente as receitas geradas por diversas rubricas.Por outro lado, o desempenho desportivo alcançado nas competições europeias e o número de parcerias de médio e longo prazo existentes contribuíram positivamente para a manutenção de um nível de rendimentos elevado.Os resultados com atletas ultrapassaram os 11,4 milhões de euros, o que supera em cerca de 13,8 milhões de euros o valor negativo alcançado no período homólogo, justificando o Benfica que aquela variação é explicada pelo aumento dos rendimentos gerados com as transacções de atletas, que permitiram um aumento dos resultados no montante de 12,5 milhões de euros, e pela diminuição das amortizações do período e imparidades de atletas no montante de 1,3 milhões de euros.Neste período, o Benfica salienta o facto de ter registado o valor mais elevado de sempre em termos de receitas obtidas com a venda de atletas pela Benfica SAD, nomeadamente com as vendas do espanhol Javi Garcia aos ingleses do Manchester City e do belga Axel Witsel aos russos do Zenit São Petersburgo, no valor total de 51,5 milhões de euros.De acordo com os "encarnados", estas transacções permitiram à SAD obter um saldo positivo de 11,4 milhões de euros face ao valor negativo de 2,4 milhões de euros registado no período anterior.É igualmente salientado que a participação na fase de grupos da Liga dos Campeões e o facto de ter atingido a final da Liga Europa permitiram garantir um montante de prémios distribuídos pela UEFA na ordem dos 21,7 milhões de euros, menos 700 mil euros do que em relação ao ano anterior, no qual o Benfica atingiu os quartos-de-final da Liga dos Campeões.Já o resultado operacional consolidado da Benfica SAD ascendeu a um valor positivo de 7,1 milhões de euros, o que representa um crescimento de 38 por cento em relação ao período homólogo de 2011/2012, correspondendo ao terceiro período consecutivo em que a sociedade apresenta resultados operacionais positivos.A SAD justifica ainda que, mesmo com a participação nos quartos-de-final da Liga dos Campeões em 2011/2012 e final da Liga Europa em 2012/2013, o crescimento dos resultados operacionais não terá sido mais positivo pelo facto de os gastos operacionais terem registado igualmente um aumento. Em termos de resultado líquido, a Benfica SAD releva que a evolução positiva nos resultados operacionais ainda não foi suficiente para a obtenção de lucro no presente período. Assim, a sociedade apresenta um resultado consolidado negativo de 10,4 milhões de euros, o que ainda assim corresponde a uma variação positiva 11,1% face ao prejuízo apresentado no período transacto.No entanto, os "encarnados" realçam que os rendimentos consolidados totais da Benfica SAD, que inclui os operacionais, as transacções de atletas e os financeiros, superaram os 145 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de 13,6% quando comparados com os 127,6 milhões de euros do período transacto, o que representa o valor mais elevado de rendimentos alcançado pela Benfica SAD.O documento revela ainda que o activo consolidado aumentou para 416,7 milhões de euros, um acréscimo de 4,8 milhões, enquanto o passivo passou para os 440,5 milhões de euros, um aumento de 14,4 milhões de euros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo