Arquivo | 01-11-2013 11:53

Cacifos destinados a sem-abrigo devem chegar a mais zonas de Lisboa no próximo ano

A zona de Arroios, em Lisboa, foi a primeira a acolher o projecto-piloto “Cacifos Solidários”, onde os sem-abrigo podem guardar pertences, uma iniciativa que os mentores esperam alargar a mais áreas da capital já em 2014.Dos 12 cacifos inaugurados a 17 de Outubro em frente à igreja de Arroios, cinco já estão atribuídos, disse hoje à Lusa o presidente da Associação Conversa Amiga, Duarte Paiva.Estes cacifos servem para os sem-abrigo “guardarem os seus pertences de forma segura, digna, e para melhorar simultaneamente o ambiente público da cidade”.Duarte Paiva adiantou que “no primeiro trimestre de 2014” a associação conta fazer uma nova proposta à Câmara Municipal de Lisboa, que apoia o projecto, para poder alargá-lo a outras zonas da cidade, como Santa Apolónia, o Rossio, Santos ou o Oriente.Apesar de terem passado apenas 15 dias desde que os cacifos foram inaugurados, Duarte Paiva disse que a utilização dos cacifos está a “correr bem” e que os beneficiários estão “bastante satisfeitos”.Já os moradores da zona de Arroios têm estado divididos. “Tem havido reacções negativas e reacções positivas”, referiu, lembrando que “há pessoas que não gostam que esta situação esteja visível na sua rua”.Os cacifos, com cerca de 1,80 metros de altura, estão pintados a amarelo, cor que não permite que passem despercebidos.A escolha dos beneficiários deste projecto obedece a algumas regras, explicou Duarte Paiva.“Têm que estar em situação de rua, terem poiso a cerca de mil metros dos cacifos, têm que aceitar as regras de utilização e aceitar que os acompanhemos”, disse.A Associação Conversa Amiga, referiu, “tem interesse em manter uma ligação [com estes sem-abrigo] para poder ajudá-los”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo