Arquivo | 02-11-2013 10:20

Dilma considera acto fascista vandalismo em manifestações no Brasil

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, classificou na sexta-feira “fascistas” os actos de vandalismo que ocorrem com frequência nas manifestações dos últimos meses, em cidades por todo o país."Condenamos totalmente o uso da violência e, mais do que o uso da violência nessas manifestações, o facto de as pessoas taparem os rostos e destruírem propriedade pública e privada, causando lesões, não mostra a civilização nem a liberdade da democracia, senão a barbárie", disse Dilma Rousseff numa entrevista, sexta-feira a rádios locais.A Presidente brasileira disse ainda que as autoridades devem conter os protestos e as pessoas que neles participam: “Nós temos que responsabilizar para não deixar a democracia no Brasil ser confundida com este tipo de acção tão violenta e bárbara", afirmou Dilma Rousseff, acrescentando o epíteto de "fascista".Na quinta-feira, o Governo Federal brasileiro assinou um acordo com as forças policiais de São Paulo e Rio de Janeiro para criar uma equipa de serviços de informação para combater os manifestantes violentos.A maioria dos actos de vandalismo, como a destruição de mobiliário público, ataques contra autocarros e agências bancárias, está a ser cometido por grupos que se identificam como anarquistas e são conhecidos por usar tácticas de protesto de "bloco negro", em que os manifestantes se vestem de preto e usam máscaras e protegem-se mutuamente.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo