Arquivo | 06-11-2013 08:37

Cerca de 40 alunos abandonaram Escola Portuguesa de Moçambique desde Setembro

Cerca de 40 alunos abandonaram a Escola Portuguesa de Moçambique (EPM), em Maputo, desde que, em Setembro, começou o actual ano lectivo, disse à Lusa a directora do estabelecimento de ensino.De acordo com Dina Trigo de Meira, a maioria dos alunos que desistiram terá regressado a Portugal, mas não descartou a possibilidade de ter havido transferências para outros estabelecimentos da capital ou do país.A EPM tem cerca de 1600 alunos, de 14 nacionalidades, do pré-escolar ao 12.º ano.Em Moçambique residem mais de 20 mil portugueses, que têm manifestado preocupações face à onda de raptos que assola a capital, e outras cidades, como a Beira, e também perante o espectro do regresso à guerra, com o recente eclodir de confrontos armados entre o exército e a Renamo, principal partido da oposição, no centro do país.Na terça-feira uma cidadã portuguesa foi raptada nos arredores de Maputo, encontrando-se ainda em situação de cativeiro.Igualmente sequestrados pelo crime organizado encontram-se dois portugueses raptados há mais de uma semana, cuja condição foi revelada na terça-feira pelo cônsul geral de Portugal em Moçambique, Gonçalo Teles Gomes."O sentimento é de desespero, angústia e tristeza, porque isto nunca acaba", disse à Lusa, na terça-feira, Horácio Feliciano, presidente da Associação dos Portugueses de Moçambique, lamentando o facto de as autoridades não conseguirem estancar um crime que assola as cidades moçambicanas há dois anos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo