Arquivo | 12-11-2013 08:50

PSD assinala aumento das exportações e volta a pedir diálogo ao PS

O porta-voz do PSD, Marco António Costa, assinalou hoje o aumento das exportações no terceiro trimestre deste ano e voltou a pedir ao PS que se disponibilize para o diálogo.Em conferência de imprensa, na sede nacional dos sociais-democratas, em Lisboa, Marco António Costa não deixou, contudo, de condenar que o secretário-geral do PS, António José Seguro, tenha sugerido ao presidente do PSD Pedro Passos Coelho, que mandasse "calar os seus porta-vozes" e parasse "com mais cartas". Questionado pelos jornalistas sobre essas palavras de António José Seguro, o porta-voz do PSD reagiu: "É uma política e uma cultura que não existe no PSD, não estamos habituados a mandar calar ninguém e, portanto, consideramos isso muito grave e muito pouco apropriado numa democracia madura".Nesta conferência de imprensa, o coordenador e porta-voz da direcção nacional do PSD dedicou a sua intervenção inicial a "sinalizar com satisfação e moderação mais alguns sinais muito positivos que têm vindo a ser divulgados sobre a evolução da economia portuguesa", destacando os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística segundo os quais as exportações aumentaram 5,8% e as importações subiram 3,6% no terceiro trimestre deste ano face ao mesmo período de 2012."Os números são sem dúvida muito animadores, confirmando que a capacidade produtiva e exportadora de Portugal continua a aumentar", considerou."Portugal está de parabéns. São os empresários e os trabalhadores portugueses que merecem todos os créditos por este resultado", acrescentou.Marco António Costa referiu também o "valor recorde do crescimento da produção industrial" registado em agosto, a descida da taxa de desemprego conhecida na semana passada, e assinalou que "a Moody's acaba de alterar a perspectiva de classificação atribuída à dívida pública portuguesa de negativa para estável", concluindo que a realidade contraria "o pessimismo de muitos agentes políticos".O porta-voz do PSD terminou o seu discurso insistindo para que o PS adopte "uma atitude de abertura ao diálogo e de compromisso, com um comportamento de cooperação institucional, em nome do interesse de Portugal" .Marco António Costa disse que "a única resposta negativa" que teve aos convites que fez para debater a reforma do Estado foi do PS. "Esta semana realizaremos reuniões, por exemplo, com a UGT", adiantou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Médio Tejo