Arquivo | 28-11-2013 09:34

Bruno de Carvalho apela à calma e a que não se caia na euforia

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, mudou hoje a tónica do seu discurso agressivo dos últimos tempos, ao apelar “à serenidade, a não se cair na euforia e em encarar a competição jogo a jogo”.“As coisas têm corrido bem, o nosso objectivo é honrar a camisola deste grande clube. Não tem faltado garra, determinação e vamos continuar a encarar a competição jogo a jogo, pois assim temos podido dar alegrias aos adeptos do Sporting”, disse Bruno de Carvalho durante o discurso que proferiu por ocasião do jantar anual dos Leões de Portugal, que decorreu num hotel da capital, com a presença dos futebolistas Rui Patrício, Cédric e William Carvalho.Bruno de Carvalho confessou-se “honrado” por ser presidente do Sporting, “um sonho que cumpriu”, e revelou vontade de “fazer mais e melhor, de aprender e dar tudo o que sabe em prol do clube que ama”.Reafirmou que o Sporting “está cada vez melhor, sem medo e sem complexos”, recordando que o clube “é o maior de Portugal a nível de títulos” e aquele que “mais atletas olímpicos tem dado ao país e que mais futebolistas, e não só, fornece às selecções nacionais”.“Sinto orgulho por ver o Sporting recuperar a estabilidade, o respeito que é fundamental e um nível de exigência máximo”, disse Bruno de Carvalho, razão pela qual encara o presente do clube “com calma, na certeza de que o futuro será brilhante”.O presidente da Assembleia-Geral, Jaime Marta Soares, também comungou da ideia de que o Sporting “está no bom caminho, tanto desportiva como administrativamente e a criar boas bases para o futuro”.Destacou a “dedicação até ao limite” dos jogadores que “assimilam o espírito que reina no clube”, mas garante apoiar a máxima de Bruno de Carvalho, segundo a qual “queremos ganhar todos os jogos em que entramos”, sem falar em títulos ou objectivos elevados.Questionado acerca do comentário do presidente da direcção, que sugeriu a retirada da cor vermelha da bandeira nacional, Jaime Marta Soares afirmou não acreditar em tal declaração. “Não as ouvi, mas conheço bem o Bruno de Carvalho. Não acredito em situação alguma que ele fosse capaz de dizer o que quer que fosse que beliscasse o seu sentido pátrio ou os nossos símbolos”, rebateu Jaime Marta Soares, que atribui tal comentário a especulação ou aproveitamento que nada têm a ver com o presidente "leonino".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo