Arquivo | 06-12-2013 11:38

Venda de F-16 à Roménia é alavanca para oportunidades nas indústrias de Defesa disse Aguiar-Branco

O ministro da Defesa Nacional, Aguiar-Branco, disse hoje que a venda de 12 F-16 à Roménia é uma "primeira alavanca" para "novas oportunidades" entre os dois países, que têm um "interesse comum" no crescimento das indústrias de Defesa."O programa dos F-16 é mais do que a venda das aeronaves. Temos interesse em que seja uma alavanca para outros projectos entre Portugal e a Roménia nesta área", afirmou o ministro da Defesa, numa declaração conjunta no final da reunião com o seu homólogo romeno, Mircea Dusa, em Bucareste.José Pedro Aguiar-Branco encontra-se em Bucareste para uma visita oficial na sequência da assinatura, em Outubro, de um contrato para a venda de 12 aeronaves F-16 à Força Aérea romena.O contrato contempla a venda de 12 aparelhos - nove monolugares e três bi-lugares - num encaixe directo de 78 milhões de euros de um total de 181 milhões de euros, dos quais 47 milhões já foram pagos ao Governo português.Em declarações à Agência Lusa, Aguiar-Branco adiantou que o Governo da Roménia solicitou hoje a antecipação do pagamento da próxima `tranche´, de cerca de 20 milhões de euros, o que "irá ser analisado".Essa antecipação, do primeiro trimestre de 2014 para ainda este ano, "não altera" qualquer planeamento ou condições de execução do contrato, disse Aguiar-Branco.Do total, cerca de 100 milhões de euros serão aplicados na preparação das aeronaves, modernização, formação e treino.As aeronaves começarão a ser entregues em 2016 e as últimas em 2017, sendo que o pagamento do montante em falta faseado até esse ano.Após a reunião, os dois ministros realçaram "objectivos comuns" para o Conselho Europeu dos próximos dias 19 e 20, face às "restrições orçamentais" nos orçamentos da Defesa, que atingem os dois países, que estão sob um programa de assistência financeira da `troika´ FMI/Comissão Europeia/Banco Central Europeu."Sabemos que é preciso redimensionar as capacidades militares face às restrições de orçamento", disse o ministro romeno, na declaração à imprensa, no ministério da Defesa.O ministro português anunciou o "reactivar da comissão conjunta" Portugal/Roménia para a cooperação na área da Defesa, que será alargada ao tema das "indústrias e tecnologias", e adiantou que há "projetos concretos" que estão a ser "identificados"."Isso ajuda as pequenas e médias empresas, a economia, o crescimento do emprego nos dois países", disse Aguiar-Branco.Mircea Dusa convidou Aguiar-Branco a regressar à Roménia em 2014, provavelmente em Março, para um encontro com os ministros da Defesa dos países da NATO, quando passam 10 anos sobre a adesão da Roménia à Aliança Atlântica, apoiada por Portugal.No próximo ano, assinalam-se ainda os 40 anos das relações de amizade entre os dois países.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo