Arquivo | 17-12-2013 16:57

Troca de cachimbos para consumo de droga pode ajudar a travar infeções como o VIH

O presidente do Serviço de Intervenção nos Comportamentos e nas Dependências (SICAD) defendeu hoje a oferta de material de consumo de droga não injectável, como os cachimbos, como forma de fechar as portas às infecções.João Goulão, que falava na apresentação do relatório sobre “A situação do país em matéria de drogas e toxicodependências”, relativo a 2012, que decorre na Assembleia da República, revelou que se tem revelado “significativa” a partilha de material não endovenoso, como os cachimbos utilizados para o consumo da cocaína.A esse propósito, João Goulão equacionou a hipótese da distribuição deste tipo de material, à semelhança do programa de troca de seringas, que, em 2012, permitiu a recolha de 1.341.710 seringas e a distribuição de 1.086.400.A partilha de material como os cachimbos é uma porta de entrada de infecções, como as provocadas pelo Vírus da Imunodeficiência Adquirida (VIH), acrescentou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo