Arquivo | 18-12-2013 11:43

Governo Regional diz que Sistema de Saúde da Madeira está assegurado

O secretário regional dos Assuntos Sociais da Madeira, Francisco Ramos, afirmou hoje, na Assembleia Legislativa, que o Sistema Regional de Saúde "está assegurado" mercê da política de saneamento financeiro adoptada pelo Governo Regional.No âmbito da discussão do Orçamento e Plano do Governo Regional para 2014, Francisco Ramos disse que em 31 de Dezembro de 2011 a divida comercial era de 242 milhões e a financeira era de 337 milhões de euros, enquanto este ano a dívida comercial baixou para 164 milhões de euros e a financeira para 272 milhões."Isto dá-nos, de facto, a garantia de que estamos gradual e progressivamente a fazer uma gestão que nos permite assegurar o Sistema Regional de Saúde", declarou.O Orçamento e Plano de Investimentos da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais para 2014 é de 861,4 milhões de euros, sendo 482,6 milhões do Orçamento próprio do Sistema de Segurança Social e o restante do Orçamento Regional.O secretário regional disse, ainda, que o gabinete que dirige continuará "a celebrar os acordos de regularização de dívidas com fornecedores", dispondo de 67 milhões de euros para pagamento de dívidas comerciais.Francisco Ramos revelou que a Secretaria manterá a prestação de cuidados de saúde assente na complementaridade do sector púbico, privado e social, dispondo para o efeito de 48 milhões de euros para "comparticipação em consultas, exames complementares de diagnóstico e tratamentos em instituições convencionadas".Para o SESARAM (Serviço de Saúde da Madeira), instituição pública que gere os hospitais e centros de saúde, o Orçamento Regional dispõe de uma dotação de 256,7 milhões.O secretário regional indicou que, para as prestações sociais, estão previstos 158 milhões de euros para o Instituto de Segurança Social da Madeira, verba que permitirá reforçar em 6,5 por cento a Acção Social, que passará a dispor de 3,1 milhões de euros, e aumentar em 5 por cento o apoio às IPSS (Instituições Particulares de Solidariedade Social), que disporão 17 milhões de euros e o Programa de Emergência Alimentar em 13 milhões de euros.O Orçamento prevê ainda uma verba de 16,5 milhões de euros destinados ao Plano Regional do Emprego e de 70 milhões de euros de apoio aos desempregados.A reformulação dos serviços hospitalares, prescrição médica electrónica, processo clínico electrónico, continuação do plano director do Hospital e serviço de protecção civil são áreas a que o Governo pretende continuar a dar atenção.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo