Arquivo | 26-12-2013 16:45

Destroços de casas que arderam em Faro dão lugar a horta biológica

Os destroços das três casas prefabricadas de um bairro social em Faro, Algarve, que arderam há cerca de 15 dias, causando nove desalojados, estão a dar lugar a uma horta biológica, disse hoje o presidente da câmara.“Está a crescer uma horta biológica e os produtos agrícolas são produzidos pela e para a comunidade do bairro da Horta da Areia”, explicou à Lusa Rogério Bacalhau, referindo que a construção do terreno agrícola no lugar das casas queimadas é apoiada pela Direcção Regional da Agricultura e Pescas do Algarve e pela Fundação Silva Leal.A nova horta é uma ampliação de outra que já existe no bairro na Horta da Areia, um bairro criado de forma provisória no pós-25 de Abril de 1974 e onde foram instaladas famílias que vieram das ex-colónias portuguesas.As três famílias que ficaram desalojadas – num total de nove pessoas – estão actualmente a viver numa pensão da cidade de Faro, paga pela Segurança Social.Durante a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 29 de Setembro passado, Rogério Bacalhau comprometeu-se a limpar o bairro, onde vivem 60 famílias em condições de habitabilidade “degradantes”.Em declarações à Lusa, o presidente de Câmara de Faro afirmou que está a trabalhar para realojar as famílias que ficaram sem casa, mas admitiu que ainda não tem soluções para as cerca de 60 famílias.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo