Cavaleiro Andante | 30-03-2006 10:01

Onde eu me fui meter...

O novo presidente da Fundação do Museu Nacional Ferroviário diz que o futuro do equipamento está dependente da vinda de dinheiro fresco, da parte do Estado, da União Europeia e de empresas privadas. Um discurso contundente que não encontra eco na expressão de Carlos Frazão. A objectiva do Cavaleiro Andante apanhou-o nestes preparos. Como a dizer – E agora, onde é que eu me fui meter?

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo