Cavaleiro Andante | 27-01-2008 10:10

CSI à portuguesa

CSI à portuguesa
Num julgamento realizado em Alcanena o advogado do arguido acusado de homicídio qualificado questionava a testemunha, inspector da judiciária, pelo facto de a PJ não saber de imediato se o sangue encontrado na forquilha, presumível arma do crime, era da vítima. Uma pergunta a que o inspector respondeu de forma irónica – “nós não somos o CSI”. Que é o mesmo que dizer que o senhor advogado anda a ver muitas séries americanos…

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Médio Tejo