Cavaleiro Andante | 06-12-2018 12:30

Cabecinhas pensadoras

Cabecinhas pensadoras
CAVALEIRO ANDANTE

Há uns anos era habitual ver uma máquina da Câmara da Chamusca a limpar as valetas da estrada do campo.

Há uns anos era habitual ver uma máquina da Câmara da Chamusca a limpar as valetas da estrada do campo antes do inverno, para minimizar os efeitos da água das chuvas. Entretanto novas e inovadoras formas de gerir têm vindo a ser adoptadas com grande poupança de recursos e agora já ninguém liga ao assunto, deixando a natureza “naturar” por todo o lado. E compreende-se. Afinal, para quê gastar gasóleo, obrigar trabalhadores a vergar a mola e forçar condutores a circular mais devagar por causa da presença da máquina, se, em caso de alagamento da estrada, basta colocar um simples aviso de “Estrada submersa” e um sinal de sentido proibido???

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo