Cultura | 27-03-2006 08:16

Artemrede voltou a ser apoiada por fundos comunitários

A Artemrede - Teatros Associados voltou a ser apoiada por fundos comunitários. O valor ronda os 370 mil euros.

A candidatura ao PORLVT (Programa Operacional Regional de Lisboa e Vale do Tejo), no âmbito do Eixo Prioritário 1 - Apoio a Investimentos de Interesse Municipal e Intra-Municipal, foi apresentada em Janeiro de 2006 e homologada em Março. A aprovação da candidatura, a juntar a outras fontes de financiamento (quotização dos 17 municípios associados e receitas de bilheteira), permite à Artemrede cumprir os objectivos propostos. Para 2006, o orçamento global é de 820 mil euros (incluindo co-financiamento de 370 mil euros do PORLVT), aplicado em programação, co-produções, promoção e assessorias técnicas.No primeiro ano de actividade (2005), a Artemrede contou com um orçamento global de 734 mil euros, co-financiados por fundos comunitários (POC-Plano Operacional da Cultura, 225 mil euros; e PORLVT, 75 mil euros). A Artemrede trata-se de uma associação cultural de direito privado, sem fins lucrativos, que tem por missão promover a qualificação e o desenvolvimento da actividade cultural dos seus membros, nomeadamente através da coordenação da respectiva actuação no domínio da gestão e programação de teatros, cine-teatros e outros espaços de apresentação pública de espectáculos. Formalmente constituída a 4 de Janeiro de 2005, a maior rede cultural nacional conta com 17 municípios associados: Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Almada, Almeirim, Barreiro, Cartaxo, Entroncamento, Moita, Montijo, Nazaré, Palmela, Santarém, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Torres Novas e Torres Vedras. A heterogeneidade do território abrangido pela Artemrede – grande diversidade cultural, social e geográfica – foi um dos indicadores mais importantes para o desenvolvimento da filosofia do projecto.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo