Cultura | 29-05-2009 15:16

Abrantes apresenta curtas-metragens feitas por crianças

Com o propósito de “contribuir para a formação de públicos na área do cinema”, o Espalha-Fitas, cine-clube de Abrantes, estreia hoje três curtas metragens de animação realizadas por alunos de escolas primárias do concelho.Segundo Lurdes Martins, coordenadora do projecto e orientadora pedagógica, foi no âmbito do IV Animaio, Festival de Cinema de Abrantes, que 150 crianças de duas escolas primárias e um grupo de ATL - ‘Troca-Tintas, “foram desafiadas para um mês de árduo trabalho de montagem, de colagem, escrita de argumento e criação de storyboards” com o objectivo da produção das três curtas metragens.“Sendo um projecto que mexe muito com a tecnologia, não há uma criança que não esteja interessada em participar. É um trabalho que requer muita entrega e dedicação, num curto espaço de tempo, mas que obriga também a que eles sintam o peso das responsabilidades e que sintam orgulho quando vêm as suas produções”, afirmou a responsável.Segundo Lurdes Martins, "a formação de novos públicos começa pelo lançamento destas sementes nos mais jovens, sendo que, através das crianças, neste caso com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos, se consegue também despertar a atenção dos mais crescidos”.Com um orçamento a rondar os sete mil euros e com a supervisão de dois formadores de cinema de animação, as salas de aula transformaram-se em estúdios de cinema durante quatro semanas, com explicações teóricas, execução de experiências, visionamento de curtas-metragens, elaboração do guião e a construção das sequências em desenho.A coordenadora do Espalha-Fitas sublinhou a importância do ‘Animaio’ como uma “ferramenta de formação de públicos sustentada na persistência e na vontade, mas também na determinação e na continuidade”.“Ao longo de quatro edições, cerca de 500 jovens já produziram uma dúzia de curtas-metragens de animação num projecto que consideramos de extrema importância para as crianças. Exige um compromisso, esforço, responsabilidade e um bom trabalho em equipa, vectores que são muito importantes trabalhar com todos, nomeadamente com os de mais tenra idade”,afirmou. Depois da filmagem e da edição sonora, a estreia das curtas metragens produzidas pelos “realizadores de palmo e meio” decorrerá hoje à noite no Cine Teatro S. Pedro, sendo que os filmes a apresentar, com uma duração média de seis minutos cada, são ‘Os Transformadores’, da responsabilidade dos alunos da Escola EB1 de Chainça, ‘A Vida por um Fósforo’, do ATL Troca-Tintas e ‘O Ciclo Escolar’, curta metragem produzida pelos alunos da Escola EB4 de Rossio ao Sul do Tejo."Para além dos filmes em si, um dos pontos altos da estreia vai ser a exibição do 'making-of', o trabalho de bastidores e do dia a dia, plano a plano, desenho a desenho", considerou a responsável.No final da sessão cinematográfica, aberta ao público em geral, decorrerá um debate sobre o cinema de animação com a presença dos realizadores José Miguel Ribeiro, Costa Valente e Paulo D’Alva.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo