Cultura | 25-11-2013 13:51

De uma brincadeira de escola nasceu uma coisa séria

De uma brincadeira de escola nasceu uma coisa séria
Em Salvaterra de Magos existe um grupo de dança que não sabe o significado da palavra crise nem nunca viu o seu número de participantes diminuir. Pelo contrário. Todos os anos tem mais alunos, de todas as idades, a quererem fazer parte do grupo. Chama-se Dream Dancing e surgiu por acaso, há 13 anos, numa brincadeira de escola e da paixão pela dança da mentora do projecto, Bárbara Vieira, que também é a presidente da associação.Na escola era habitual ver Bárbara (na altura com 15 anos) e as amigas aproveitarem todos os intervalos das aulas para dançarem ao som das músicas da moda, de artistas como as Spice Girls, Back Street Boys, Aqua, entre outros. Tudo servia para inventar coreografias e dançar. Dançar sem parar. Até que um dia a ex-presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Ana Cristina Ribeiro, ouviu falar delas e convidou-as para fazerem uma apresentação no auditório do Celeiro da Vala. Apesar do nervosismo aceitaram o desafio e convidaram um grupo de meninas mais novas, com quatro e cinco anos, para terem um espectáculo mais diversificado.A partir daí o sonho de Bárbara Vieira começou a ganhar forma. O grupo de 12 meninas começou a ensaiar todos os dias na garagem da avó de Bárbara e foi crescendo, pelo que tiveram de mudar o local de ensaio. Passaram para as instalações do Grupo Desportivo Salvaterrense, seguiu-se o espaço do antigo cinema em Salvaterra, até se mudarem para o pavilhão municipal. Em 2007, constituíram a associação e tornaram as Dream Dancing num projecto mais profissional. "Estávamos a ter uma grande dinâmica e precisávamos de apoio para podermos crescer", explica Bárbara Vieira a O MIRANTE.Actualmente contam com 700 alunos e sete professores, espalhados por várias modalidades. Dança, hip-hop, expressão corporal e dramática, step e zumba. Para além das actividades que decorrem no Pavilhão Municipal de Salvaterra de Magos também vão a algumas instituições do concelho e não só (Montijo, Lisboa e Alcochete) dar aulas de danças educativas e expressão físico-motora a crianças do pré-escolar. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo