Cultura | 13-11-2016 14:01

No Coro Notas Soltas elas estão em maioria

No Coro Notas Soltas elas estão em maioria
VILA FRANCA XIRA

Quando chega a hora de cantar em conjunto e de forma organizada, habitualmente, são as mulheres que se chegam à frente.

Raras vezes há discussão sobre quem canta mais, se os homens ou as mulheres. O prazer de cantar abrange os dois sexos e não há distinção entre idades. Desde o pequeno rapaz que canta no chuveiro ao pai que soletra clássicos enquanto conduz.

No entanto, para um cantar organizado e em grupo os homens acabam por se retrair mais. As excepções serão os corais alentejanos e as claques de futebol. Ana Paula Mendes e Fátima Rocha Santos, respectivamente maestrina e presidente do Coro Notas Soltas de Vila Franca de Xira, reconhecem a dificuldade de recrutamento de homens.

"É difícil os homens entrarem para os coros, pois ou são muitos jovens e têm actividades viradas para o desporto, passear com a namorada, ou então há o medo de não ser capaz. Este fenómeno não é só nosso, no estrangeiro encontramos a mesma situação", refere Ana Mendes.

O Coro Notas Soltas de Vila Franca de Xira tem seis homens sem vergonha de cantar. Valter Passarinho canta desde os 9 anos no coro da igreja na Castanheira do Ribatejo. Aos 27 anos é o corista mais novo do Notas Soltas. Enquanto os amigos foram desistindo do canto, Valter nunca perdeu o gosto e apesar da gaguez afirma que é para continuar.

"Não tenho vergonha nenhuma, sempre gostei de cantar e vou continuar. É provável que os outros tenham alguma vergonha, eu tento incentivar os meus amigos a vir, mas eles respondem que desafinam", diz.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...