uma parceria com o Jornal Expresso
19/02/2017
30 anos do jornal o Mirante
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
Cultura | 05-01-2017 17:32
Luckie Duckies comemoram 30 anos com novo disco
MÚSICA
No primeiro trimestre deste ano lançam novo disco, pela primeira vez todo cantado em português.

“Estes 30 anos foram de muita luta contra os lobbies para manter o nome dos Luckie Duckies à superfície”, diz Marco António, vocalista e fundador da banda nascida em 1987 na Póvoa de Santa Iria, no concelho de Vila Franca de Xira. “Para uma banda não basta existir e ter talento, é preciso combater muito com os meios de comunicação e fazer marketing para que haja resultados. Há muitas bandas de baile com muito talento mas que não chegam a todos os portugueses por causa desse obstáculo”, sustenta.


Foi a 25 de Abril de 1987, no aniversário de Marco, que nasceram os Luckie Duckies. A banda que ensaiava no Grémio Dramático Povoense conseguiu destacar-se e logo nesse ano integrou o programa da RTP1 “Estúdio 4”, apresentado por Luís Pereira de Sousa, que os fez chegar ao grande público. Três décadas depois vem a reinvenção.
Há 30 anos que os Luckie Duckies reinterpretam clássicos das décadas entre 1920 e 1960, com um som revivalista de géneros como o jazz, o swing e o rock’n’roll, e actualmente preparam o lançamento de um novo disco para o primeiro trimestre deste ano. Mas desta vez não se inspiram em canções de Elvis Presley, Nat King Cole, Frank Sinatra ou Ella Fitzgerald e olham para clássicos portugueses das décadas 1940, 1950 e 1960.


“Os Patinhos Sortudos na Língua de Camões” é o nome do disco com 12 novos arranjos para temas como “Nem Às Paredes Confesso” de Artur Ribeiro, “Sonhos” de José Manuel Concha ou “Esquece” d’Os Ekos - uma viragem que responde ao apelo do público e de uma necessidade da banda: “tivemos sempre críticas saudáveis, muitos fãs adoram-nos, mas muitos pediam que cantássemos na língua de Camões. E por uma questão de consciência, uma vez que já reinterpretámos muitos clássicos estrangeiros, perguntámo-nos que fazer mais? Optámos pela música portuguesa, embora já tivéssemos gravado alguns temas em português como o ‘Tão Bom’ de António Calvário e Madalena Iglésias”, conta o vocalista dos LUCKY DUCKIES, hoje com 49 anos.


No disco está ainda um original escrito por Marco, “Na Língua De Camões”, que, admite, foi difícil de compor: “Para mim é mais fácil compor em inglês porque há muitos anos que trabalho nessa língua e nesse tema homenageio os grandes letristas portugueses como Fernando Pessoa, Sérgio Godinho, Rosa Lobato de Faria ou Carlos Tê”.
Comemorar os 30 anos ao vivo no Ribatejo


Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE. Aqui

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Edição Semanal
    Edição nº 1286
    16-02-2017
    Edição Vale Tejo
    Edição nº 1286
    16-02-2017
    Capa Médio Tejo