Cultura | 05-07-2017 09:27

Fatias de Cá apresenta duas peças de teatro à beira Tejo

Fatias de Cá apresenta duas peças de teatro à beira Tejo

Tancos, Arripiado e Castelo de Almourol são os palcos das produções do grupo tomarense.

O grupo Fatias de Cá vai apresentar duas peças de teatro, uma em Julho, em Tancos e no Arripiado, e outra em Agosto, no castelo do Almourol, no concelho de Vila Nova de Barquinha.

Nos dias 14, 15 e 16 de Julho, pelas 21h21, repõe a peça “Tanegashima”, a partir de Peregrinação de Fernão Mendes Pinto e Teppo-Ki, de Nampo Bunshi. “Tanegashima” conta a história dos portugueses que estavam espalhados por todo o Oriente no século XVI.

A peça, que decorre à beira do Tejo em Tancos (Barquinha) e Arripiado (Chamusca), tem uma duração de 1h30 e os bilhetes custam 11,11 euros.

Durante os sábado de Agosto, o castelo de Almourol volta a ser palco da peça “Viriato”, de autoria de Carlos Carvalheiro e Filomena Oliveira, a partir da obra de João Aguiar. “Viriato” recua a 147 antes de Cristo quando os romanos cercam o que restava da hoste lusitana, em mais um episódio da guerra que Roma travava para se apoderar da Península Ibérica.

Os lusitanos elegeram um comandante que, durante sete anos, foi o pesadelo de Roma: Viriato. A primeira parte da peça de teatro ao ar livre tem uma duração de 45 minutos. Segue-se um banquete, onde os espectadores também participam, e a segunda parte do espectáculo dura mais 45 minutos.

Os preços dos bilhetes custam 22,22 euros e inclui refeição. Esta é uma parceria entre o grupo de teatro Fatias de Cá e a Câmara de Vila Nova da Barquinha.

Mais Notícias

    A carregar...
    Caipirinhas para todos os gostos
    Foto do Dia
    As caipirinhas são a aposta há oito anos da van food “Caipi Joca’s”, de Carlos Travessa, um dos presentes na 4.ª edição do Festival Reverence que decorreu nos dias 8 e 9 de Setembro, pela primeira vez, na Ribeira de Santarém. A residir em Salvaterra de Magos, o empreendedor de 38 anos começou o negócio juntamente a sua sócia, Josélia Godinho, de 33 anos, depois de ter tido muito sucesso com o seu bar exclusivo de caipirinhas nas festas de Salvaterra de Magos. O nome surgiu de uma junção de “Caipi” (caipirinhas), “Jo” (Josélia) e “Ca” (Carlos). Entre as várias caipirinhas à disposição, a que está no topo das preferências é a tradicional com cachaça.
    Foto do Dia | 22-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo