Cultura | 24-07-2018

Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

1 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Joaquim Bastinhas o regressado

2 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

João Moura

3 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Paulo Parker

4 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Joaquim Bastinhas

5 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Pedro Moreira dos Amadores da Chamusca

6 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Rui Salvador

7 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Nuno Toureiro dos Amadores de Monforte

8 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Marcos Bastinhas

9 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Hélder Parker dos Amadores de Tomar

10 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Marcelo Mendes

11 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Hélder Delgado dos Amadores da Chamusca

12 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

David Gomes

13 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Vitor Carreiras dos Amadores de Monforte

14 / 14
Joaquim Bastinhas regressou às arenas na Figueira da Foz

Higino Soveral também ele um grande triunfador

Corrida com excelente prestação de todos os artistas e grande curro de touros de Higino Soveral.

De capas variadas, desde o burraco ao ensabanado, ao salpicado em negro e ao negro, saíram os seis toiros de Higino Soveral. Não só no Ribatejo e Alentejo, onde pastam a maioria das ganaderias bravas se criam toiros, estes lidados na Figueira da Foz, na noite de 21 de Julho, são nados e criados no Baixo Mondego.

Uma noite de emoções onde o público marcou presença, preenchendo três quartos fortes da lotação do simpático tauródromo Figueirense, apesar dos malabarismos malévolos: dias antes um grupo vandalizou os cartazes apagando o dia e a hora da corrida para confundir o público.

Um cartaz aliciante foi servido à afición nortenha, com a particularidade do regresso às arenas de um ídolo, Joaquim Bastinhas.

João Moura abriu a corrida, com uma actuação brilhante, em que sobressaíram os cites frontais, partindo de largo e reunindo correctamente. A pega de caras foi executada por Paulo Parker, dos Amadores de Tomar.

Estalaram as ovações, e a música tocou, quando Joaquim Bastinhas entrou na arena para entusiasmar o conclave, bregando com emoção e colocando a ferragem garbosamente, culminada com o costumeiro par de bandarilhas. Pedro Moreira, dos Amadores da Chamusca, executou a pega.

Lide arraçada, como é seu timbre, foi a desenvolvida por Rui Salvador, perante o mais complicado do curro. Nuno Toureiro dos Amadores de Monforte, fez jus ao seu apelido, toureando um toiro que ensarilhava, e fechando-se numa monumental pega.

Marcos Bastinhas desenvolveu uma lide alegre e movimentada, iniciada na boa colocação da ferragem comprida, e culminada com três magnifícos curtos, precedidos de um par de bandarilhas. Hélder Parker, dos amadores de Tomar, pegou de caras.

Marcelo Mendes esteve em bom plano, sendo com a ferragem curta que o seu labor mais se destacou, em que partindo recto para o toiro, colocou de alto a baixo três ferros de boa execução. Hélder Delgado dos Amadores da Chamusca, executou a pega.

O toiro mais pesado da camada, gravito de córnea, tocou a David Gomes. Na ferragem curta foi algo irregular, subindo de tom nos curtos, ferro após ferro, compondo uma triunfal prestação. A pega coube a Vitor Carreiras, dos Amadores de Monforte.

Um curro de toiros que proporcionou um belíssimo espectáculo, em que o ganadero foi muito justamente chamado à arena.

A corrida foi superiormente dirigida por Francisco Calado, ex– cabo dos Forcados Amadores das Caldas, e um aficionado de “solera”.

Texto e fotos de Henrique de Carvalho Dias

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo