Cultura | 18-08-2018 18:12

Andrea Verdugo: a cantora que actua descalça

Andrea Verdugo: a cantora que actua descalça

Ex-vocalista dos 4Folks quer voar agora a solo. Cantora considera-se impulsiva, teimosa e apaixonada e reconhece que gosta de ser irreverente.

Antes de se juntar aos 4Folks, Andrea Verdugo já cantava por brincadeira, especialmente em karaokes, porque à frente da família e dos amigos era mais tímida e tinha vergonha. Hoje, se a timidez resiste, consegue escondê-la bem, pois enche o palco cada vez que o pisa. Fê-lo no programa de televisão The Voice Portugal, no qual chegou à semifinal, com os 4Folks no concurso de bandas EDP Live Bands, em 2015, com o grupo na final juntamente com outras seis bandas escolhidas pelo público, e fá-lo sempre que pisa qualquer palco.

Quando canta tem de estar descalça, uma espécie de superstição, porque sente que o calçado a constrange, e nunca se esquece de dar um abraço a todos os músicos antes de iniciar o espectáculo. Já foi várias vezes assediada por elementos do público - afinal faz parte da profissão ter de lidar com alguns destes episódios menos agradáveis - mas como os ignora, acabaram por não ter consequências de maior gravidade.

Do passado, quando ainda eram 4Folks, Andrea lembra com um sorriso: “Fazer música era a coisa mais fixe que fazíamos nessa altura”. Às vezes ficavam até de manhã e viam o sol nascer ao som da música que tocavam ou simplesmente a ouvir outras músicas. Foram tempos de experiências em que tocavam covers (músicas não originais, de outros músicos) e que mostravam ao público no Voltar Café, que nessa altura recebia actuações ao vivo de músicos locais e era o local onde a juventude vilafranquense se juntava. Só mais tarde passaram a compor as próprias músicas, com a entrada e influência de João Serra que veio substituir o primeiro guitarrista Filipe Faria.

REPORTAGE COMPLETA NA EDIÇÃO EM PAPEL JÁ NAS BANCAS

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo