Desporto | 16-03-2006 09:33

A menina do motocross

O capacete, o fato especial e a forma como corre não a distinguem de nenhum dos restantes participantes do escalão de iniciados do Campeonato Nacional de Motocross. À primeira vista, a única diferença está nas costas onde o nome Vanessa costuma levantar algumas dúvidas, sobretudo a quem não acredita que uma rapariga de 14 anos possa participar numa prova de motocross.O certo é que Vanessa Hilário já corre de mota há seis anos. Ligada à modalidade desde muito pequenina, quando assistia às provas do pai, também ele piloto de motocross, a jovem, natural de Torres Novas, não demorou a interessar-se pela modalidade e, com apenas oito anos, disse ao pai que gostava de ter uma mota e de entrar em provas.Para que a filha não corresse grandes riscos, José Vital comprou inicialmente uma KTM de 50 centímetros cúbicos (cc) e 3 cavalos. “Temos sempre algum receio e eu não queria que lhe acontecesse nada”, explica. Mas o facto é que passada a primeira semana Vanessa já se queixava que a mota não andava.A família fez mais um esforço e comprou uma mota mais potente. Daí à primeira prova, no Rebocho, perto de Coruche, foi um pequeno salto. Dessa corrida inicial, Vanessa recorda-se apenas que apesar de ter treinado bastante estava muito nervosa. Tinha receio de não conseguir e de ser gozada por ser rapariga.Mas nada disso aconteceu. Entre 13 pilotos ficou em oitavo e na prova seguinte já fez um sexto lugar. As subidas ao pódio não tardaram e antes da primeira e única vitória até ao momento, em Avenidas do Sado, fez vários segundos e terceiros lugares.Tal como na maioria dos outros jovens que praticam motocross, os pais de Vanessa são os seus grandes patrocinadores. Uma empresa de peças do Entroncamento e outra firma de Tomar são as únicas a ajudar a equilibrar o orçamento, este ano ligeiramente aliviado pela oferta de três fatos completos para motocross por parte de uma empresa da especialidade.Este ano Vanessa corre com uma Yamaha de 85 cc e disputa o Campeonato Nacional de Motocross e o troféu Rómoto. Na primeira prova desta última competição privada, realizada a meio de Fevereiro, em Frade de Cima, Alpiarça, ficou em nono lugar entre os 13 pilotos da classe de Cadetes 85 cc, todos rapazes, à sua excepção.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo