Desporto | 18-03-2006 09:09

Desporto tem futuro

O director da Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) considerou hoje que o mercado de trabalho tem uma "grande procura" de jovens licenciados nesta área, garantindo uma taxa de emprego de quase 100 por cento."Mais de 98 por cento dos nossos alunos estão a trabalhar na área do desporto", disse José Rodrigues, considerando que esta implantação reflecte a necessidade das empresas de integrarem quadros qualificados neste nicho de mercado.Falando à margem da conferência "Tendências do emprego no desporto", José Rodrigues defendeu que as escolas devem adaptar-se às necessidades do mercado, dotando os alunos de conteúdos adaptados às carências detectadas.A integração no mercado do desporto deve-se a "uma questão de competências adquiridas e não a uma questão de grau", considerou José Rodrigues, rejeitando a possibilidade de condicionar o emprego nalguns sectores a licenciados."Isso seria uma questão corporativa e não é disso que se trata", afirmou este responsável, que defende o reforço das parcerias entre as instituições de ensino e as empresas.Nesse sentido, a realização deste seminário visa promover um "diálogo social" entre todas as partes, sensibilizando as empresas a procurarem jovens quadros e os jovens a adaptarem-se às necessidades do mercado."O grande objectivo deste seminário é discutir o emprego no sector do desporto e não no sistema educativo", afirmou, recordando que a vocação da ESDRM não é a formação de professores de educação física.Na sessão de hoje de manhã, os palestrantes concordaram na necessidade de os jovens procurarem empregos de acordo com o seu perfil, já que tão importante como os conteúdos técnicos apreendidos no curso são também as características pessoais dos candidatos.Para João Galileu, director da cadeia de fitness Solplay, os candidatos conquistam as vagas existentes se "reflectirem na sua vida pessoal" algumas das imposições que este nicho de mercado impõe, como um estilo de vida saudável, capacidade de comunicação ou disciplina de treino.Já Héctor Jiménes, agente de jogadores de basquetebol, concluiu que a opção laboral deve também estar relacionada com um "gosto ou uma paixão pessoal" por determinada modalidade ou actividade, o que facilita o sucesso futuro."Por exemplo, eu agora sou agente de jogadores, mas também já joguei basquetebol. Não me chegava apenas conhecer os clubes e os atletas de nome", disse o empresário à centena e meia de alunos que encheram o centro de estágios de Rio Maior.Por seu turno, o treinador de futebol José Peseiro, igualmente docente da ESDRM, considerou que o sucesso profissional está também relacionado com a capacidade de as pessoas "se adaptarem às várias realidades".No que respeita à formação académica existente, o antigo técnico do Sporting reconheceu que existem algumas carências na formação para lidar com os meios de comunicação social, o que se revela uma "lacuna" em momentos de maior exposição mediática.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo