Desporto | 24-02-2009 18:07

Rugby em expansão em Abrantes

O Abrantes Rugby Clube começou com uma ligação à Escola Agrícola de Mouriscas. Os responsáveis pela implantação do clube seguiram exemplos de outros clubes, com a ligação ao ensino. Mas no caso a resposta não foi a melhor. "A Escola de Mouriscas é um estabelecimento de ensino que funciona em regime de internato, e ao fim-de-semana os alunos vão conviver com a família e isso inviabilizava a sua participação”, disse o presidente do clube, António Falcão.Com a vinda para Abrantes, o clube cresceu e nesta altura são já quatro dezenas de jovens com idades compreendidas entre os oito e os 22 anos, a representar o clube em torneios de “equipas emergentes” nos escalões de sub-14 e vão ser criadas uma equipa feminina, uma de sub-16 e outra de seniores, que englobará também os jovens do escalão de sub-18.Segundo o presidente do ARC, “o entusiasmo dos jovens pela modalidade, incluindo muitas raparigas, tem sido deveras importante para levar este projecto por diante, mobilizando antigos praticantes como os técnicos Fernando Silva, Carlos Batista, Pedro Carrolo e o dirigente António Falcão”.“Alguns dos pais destes jovens já tinham praticado a modalidade na sua juventude, conhecem as mais valias formativas inerentes à prática deste desporto e daí o pensarmos na criação deste clube, que vai permitir aos nossos jovens uma oferta desportiva diferente das até agora existentes na região”, disse António Falcão.Segundo disse, “a selecção nacional ajudou a dar outra visibilidade à modalidade com a sua recente participação no campeonato do mundo e teve o condão de desinibir e despertar na juventude atenções para este desporto que é cativante e apaixona de imediato quem o pratica”.As despesas iniciais inerentes à criação do Abrantes Rugby Clube, bem como as despesas com os equipamentos “capacetes, bolas, boqueiras e ombreiras, “têm sido divididas irmãmente por todos os jovens e dirigentes”, frisou António Falcão.“Este grupo que marca o arranque do ARC não falta a um treino “ que decorre às terças, quintas-feiras e sábados” e são eles quem tem pago para poder treinar e praticar a modalidade, sendo que muitos deles vêm de concelhos limítrofes, como Sardoal, Constância e até Ponte-de-Sor”, sublinhou.Segundo disse, “a ideia é apostar nos escalões de formação para constituirmos uma base sólida de um projecto que queremos de longo prazo, sendo que, na próxima época desportiva já queremos ter uma equipa sénior a competir nos campeonatos nacionais”.“Mantendo-se este nível de adesão ao clube por parte das raparigas, perspectivamos constituir também uma equipa de rugby feminina que possa competir já na próxima temporada”, afirmou.Os atletas treinam nas instalações da “Cidade Desportiva” de Abrantes, um complexo “com óptimas instalações cedidas pelo sector de desporto da autarquia que nos apoiou e incentivou desde a primeira hora”, contou o dirigente.Segundo disse António Falcão, “o Abrantes Rugby Clube é um projecto que nasce claramente de baixo para cima e o espírito de equipa reinante neste grupo de trabalho é a primeira grande vitória, a grande dificuldade passa apenas pelos problemas com as deslocações. Problema que vamos conseguindo ultrapassar com a ajuda da Câmara Municipal de Abrantes, dos dirigentes e de alguns pais” disse o dirigente.A disponibilidade do clube para a formação é a mola real que faz movimentar os dirigentes. “Queremos apostar em camadas ainda mais jovens, estamos a desenvolver o programa Nestum, que proporciona o contacto com o Rugby nas escolas primárias, estamos convictos que vai trazer ainda mais crianças até ao nosso clube”, disse António Falcão.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo