Desporto | 29-07-2015 00:16

Campeão do mundo de pesca paga do próprio bolso para ir às provas

Campeão do mundo de pesca paga do próprio bolso para ir às provas

José Evangelista já gastou milhares de euros para alimentar a sua paixão mas diz que todo o esforço valeu a pena. Há quase um ano que é presidente da Federação de Pesca e está apostado em atrair os jovens para a modalidade e em fazê-la crescer.

É natural de Almeirim e morador na Raposa o novo campeão do mundo de pesca. Chama-se José Evangelista, tem 39 anos, e alcançou o título mundial individual na modalidade de feeder, nos dias 11 e 12 de Julho, na Holanda. Foi o corolário de 25 anos de carreira, que comemora precisamente este ano. "Senti que era o reconhecimento pelo meu trabalho e pelo esforço familiar e financeiro que tenho feito. Senti que tudo valeu a pena. Mas mesmo assim, o meu filho estava mais contente do que eu. Chorou e tudo quando fui receber o prémio", contou o pescador a O MIRANTE, explicando que, ainda assim, dá mais valor a ser campeão do mundo pela selecção do que individualmente. "É extremamente agradável ser campeão do mundo individual, como é lógico, mas quando é uma selecção, um grupo, dá mais prazer".Não há campeões sem sacrifício e na pesca desportiva há sacrifícios bem grandes que se têm de fazer para chegar ao topo. José Evangelista, por exemplo, nunca teria marcado presença no campeonato do mundo se não tivesse pago do seu próprio bolso, situação que já o fez gastar milhares de euros em nome da sua paixão pela modalidade. "Não é fácil ir às provas porque temos de suportar uma parte da ida. Eu, por exemplo, paguei 800 euros do meu bolso para ir a este campeonato do mundo. Suportei uma metade e a Federação outra mas o ano passado, para ir ao mesmo campeonato, paguei tudo do meu bolso. Depois, os materiais são uma pequena fortuna. Só os meus custaram 20 mil/30 mil euros. Infelizmente é um desporto que está a ficar muito caro", admite.A primeira vez que José Evangelista pegou num cana de pesca tinha 6 ou 7 anos. Pescava numa ribeira que passava ao pé de casa, depois da escola ou aos fins-de-semana. Com apenas 13 anos foi desafiado para começar a fazer pesca de competição, tendo-se estreado aos 14, numa prova na barragem Trigo de Morais, no Alentejo. * Entrevista completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo