Desporto | 02-04-2017 10:02

Faltam mais mulheres a "surfar" no Castelo do Bode

Faltam mais mulheres a "surfar" no Castelo do Bode
ABRANTES

Albufeira de Castelo do Bode tem a primeira estância de wakeboard do mundo mas faltam raparigas em cima da prancha.

Leu bem: na barragem de Castelo de Bode é possível surfar-se. O desporto chama-se wakeboard e é praticado com uma prancha similar às de snowboard que é puxada por um barco. Uma médica dentista, uma técnica de radiologia, uma directora comercial da Nike e uma estudante de Artes são os rostos do projecto "Wake with Girls", que pretende angariar praticantes femininas do desporto que tem como palco a primeira estância de wakeboard do mundo.

Fica na albufeira de Castelo do Bode e compreende 30 quilómetros com cinco cable parks situados nas praias fluviais de Aldeia do Mato, Fernandaires, Lago Azul, Montes e Trízio, um projecto apoiado pelos municípios de Abrantes, Ferreira do Zêzere, Sertã, Tomar e Vila de Rei.

Joana Leitão tem 34 anos e é técnica de radiologia. Nos intervalos da profissão, que é o mesmo que dizer todos os fins-de-semana, de Março a Novembro, despe a bata branca e troca-a pelo fato de água. "Pratico há oito anos. Descobri o wakeboard na mesma altura em que conheci a barragem. Foi amor à primeira vista", revela a jovem.

Aceitou o desafio para ser embaixadora da modalidade porque quer acabar com o mito de que "o wakeboard é para rapazes". Na verdade, o desporto está erradamente associado à força, quando o segredo está "no equilíbrio e na vontade de nos desafiarmos". Até agora, ela, e as outras três embaixadoras, já conseguiram contagiar dezenas de mulheres para um desporto que, em Portugal, pode ser praticado quase todo o ano.

* Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo