Desporto | 20-09-2017 17:13

Investidores querem colocar SL Cartaxo na Primeira Liga em cinco anos

Accionistas da SAD marcaram presença no jogo de apresentação aos sócios da equipa sénior do clube e não são parcos em ambição.

O grupo de investidores que vai liderar a Sociedade Anónima Desportiva (SAD), cuja criação o Sport Lisboa e Cartaxo aprovou recentemente, por unanimidade, em assembleia-geral, marcou presença no jogo de apresentação da equipa sénior, no Estádio Municipal do Cartaxo. O ambiente foi de festa e não faltaram aperitivos e bebidas no camarote onde se encontravam os homens fortes da futura SAD do clube.

Natural da Guiné-Bissau, Faustino Gomes é o principal investidor na SAD e o porta-voz deste novo projecto. Empresário de jogadores há quase três décadas, Faustino Gomes explicou a O MIRANTE que decidiu investir no SL Cartaxo por ser um clube histórico da região. Para esta época pretende que a equipa fique em primeiro lugar e suba de divisão.

“O objectivo é que o Sport Lisboa e Cartaxo consiga chegar à 1ª divisão nacional de futebol nos próximos quatro ou cinco anos. Conheço a cidade e já vim cá a vários torneios. Sempre gostei do Cartaxo e quis dar algo à cidade”, disse.

O facto do Cartaxo estar próximo de Lisboa também contou para fazer este investimento. Faustino Gomes disse a O MIRANTE que o investimento no clube será consoante as necessidades. No entanto, no protocolo de parceria entre o clube cartaxeiro e a SAD, a que O MIRANTE teve acesso, o investidor, a empresa Essencelondon, compromete-se desde já a pagar 2.100 euros mensais ao SL Cartaxo durante os dez meses da época desportiva.

Estes 2.100 euros mensais, “garantidos mensalmente pelo investidor”, vão ser geridos pelo SL Cartaxo, com o objectivo de pagar o aluguer do campo de treinos da equipa de juniores, em Vila Nova de São Pedro (concelho de Azambuja), que tem um custo mensal de 700 euros. Além disso, a mensalidade também servirá para pagar os vencimentos dos colaboradores do clube: um fisioterapeuta (250 euros); um técnico de equipamentos (250 euros); um treinador de juniores (200 euros) e um treinador adjunto/preparador físico (100 euros); um coordenador técnico (350 euros); e um administrativo (250 euros). Estes funcionários, todos escolhidos pelo SL Cartaxo, também estarão à disposição da SAD.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo