Desporto | 02-11-2017 13:27

O árbitro que era “castigado” com duche de água fria

O árbitro que era “castigado” com duche de água fria

João Coimbra é o presidente do Núcleo de Árbitros da Póvoa de Santa Iria e uma referência para os mais novos

João Coimbra perdeu a conta às vezes em que teve de tomar banho de água fria no final dos jogos, quando a equipa da casa não gostava da arbitragem. Uma vez não se resignou às desculpas e entrou no balneário dos jogadores e tomou banho de água quente com eles, perante o espanto dos futebolistas. “Percebi que eles não gostaram mas ao menos safei-me”, conta o árbitro com uma carreira de 19 anos e presidente do Núcleo de Árbitros da Póvoa de Santa Iria. “Havia sempre uma desculpa qualquer, ou se tinha acabado o gás, ou havia problemas com a canalização, qualquer coisa servia para cortar a água quente”, conta.


Ao longo da careira, o árbitro de 57 anos de idade apitou jogos dos escalões de formação, passou por todos os campos do distrito de Lisboa e chegou ao escalão principal do futebol. Esteve num Benfica - FC Porto. Nesse jogo teve de mandar o presidente do Porto sentar-se e acalmar-se mas só se apercebeu que era Pinto da Costa a quem tinha dado a reprimenda quando leu o jornal no dia seguinte. Nessa altura fez parte da equipa de Fernando Correia como árbitro assistente e percebeu que tinha entrado “na piscina dos meninos grandes”. “No primeiro jogo que fiz na Primeira Liga, um dos clubes apresentou-me uma ficha sobre mim com tudo aquilo que eu tinha feito enquanto árbitro. Assustou-me perceber o poder de toda aquela estrutura”, recorda.

Entrevista completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo