Economia | 14-01-2005 11:02

Dinheiro mais barato para empresas do Cartaxo

A Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant), a Câmara Municipal do Cartaxo e o BES constituíram ontem um Fundo de Apoio ao Investimento das Micro- Empresas (FAIME) com sede e actividade neste concelho.Na assinatura dos protocolos entre as três entidades, realizado no Cartaxo, o presidente da Nersant, José Eduardo Carvalho apresentou o FAIME como uma resposta à falta de apoios ao investimento no distrito, penalizado pelas medidas restritivas colocadas à Região de Lisboa e Vale do Tejo.O fundo, que será alargado a outros concelhos do distrito à medida que as autarquias decidam aderir, é, no caso do Cartaxo, nesta fase, de 400 mil euros, sendo metade desta verba disponibilizada pelo município para empréstimos a uma taxa de zero por cento e a outra metade pelo BES a uma taxa Euribor a 30 dias acrescida de um spread máximo de 2,5 por cento.As empresas podem candidatar-se a investimentos, até 15.000 euros, em obras, equipamento, automóveis comerciais, certificação ou registo de marcas e patentes, para empréstimos a seis anos, com um ano de carência de capital.à Nersant, que cobra três por cento sobre o valor aprovado, cabe a prestação de serviços de apoio, informação, análise e acompanhamento das candidaturas e da execução financeira e física do projecto, bem como a elaboração de um relatório anual.José Eduardo Carvalho disse ser preciso "grande coragem" dos autarcas para aderirem a um fundo como o FAIME, considerando ser um sinal de "visão" uma concepção de desenvolvimento que "não se limita ao betão" mas quer criar desenvolvimento e ajuda à criação de emprego, "ao contrário dos que criam empregos nas próprias câmaras, gerando mais despesa pública".O presidente da Nersant elogiou os que "em vez das rotundas e das empreitadas de calçada" permitem o relançamento de empresas e a criação de emprego, como, sublinhou, foi o caso do Cartaxo.José Eduardo Carvalho disse que já outros sete concelhos do distrito (Abrantes, Almeirim, Alpiarça, Chamusca, Constância, Torres Novas e Mação) e Azambuja manifestaram interesse em aderir ao FAIME, estando a decorrer os processos de decisão, sendo Santarém a única autarquia a deliberar expressamente a não adesão.O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Paulo Caldas (PS), justificou a adesão à iniciativa com a estratégia da autarquia de "fortalecimento do tecido empresarial e de criação de emprego", que, a par da melhoria das acessibilidades, tem sido prosseguida com medidas como a consolidação das Áreas de Localização Empresarial ou a descida da derrama.Pedro Cunha, em representação do BES, afirmou que este banco iniciou um programa do género há dois anos no Alentejo, tendo 10 fundos constituídos com 65 projectos em curso.Paulo Caldas disse à Lusa que o fundo constituído no Cartaxo permitirá financiar 26 a 30 projectos, estando previsto um eventual reforço caso se revele necessário.A Nersant começará a receber as primeiras candidaturas a 01 de Fevereiro, prevendo-se que os primeiros projectos sejam aprovados no início de Abril.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo