Economia | 12-07-2008 10:55

Nova fábrica da Nestlé Waters em Coruche prontra no início de 2009

O presidente da Câmara Municipal de Coruche, Dionísio Mendes (PS), considera a nova fábrica da Nestlé Waters Direct como um "projecto âncora" para o concelho, com poder para atrair novos investidores. "Será o virar de página do investimento no concelho de Coruche", sublinhou o autarca durante a cerimónia de colocação da primeira pedra da nova fábrica da Nestlé Waters Direct, destacando os "efeitos de atracção" que representa a instalação de uma "empresa multinacional com este prestígio".A unidade fabril criará "entre 40 a 50 postos de trabalho directos", segundo Dionísio Mendes, que reconheceu como "interessante" a repercussão da instalação da fábrica no concelho, em especial nos sectores dos transportes, comunicações, restauração e hotelaria.O presidente da Agência para o Comércio Externo de Portugal (AICEP), Basílio Horta, disse estar "muito contente" com o investimento de "uma grande empresa multinacional e também portuguesa". "É um investimento importante, não tanto pela dimensão do investimento, na ordem dos sete milhões de euros, mas fundamentalmente pelo sítio onde é feito, em Coruche, e pela Nestlé ter escolhido Portugal para o fazer", sublinhou Basílio Horta.Para o presidente da AICEP, o investimento da Nestlé significa "confiança nesta zona, no país e no novo aeroporto que, obviamente, cria acessibilidades que atraem investimento", durante uma "conjuntura internacionalmente difícil e turbulenta".O director-geral da Nestlé Waters Direct em Portugal, Alexandre Carreteiro, considerou a nova fábrica como uma aposta no futuro. "Estaremos prontos para arrancar no início do ano com este investimento importante. Uma fábrica nova diz várias coisas, que estamos a ter um negócio de sucesso e que apostamos mais no futuro e cada vez mais em Portugal", afirmou.Segundo Alexandre Carreteiro, a unidade fabril a instalar em Coruche terá uma capacidade de 1.500 garrafões por hora. "É capacidade mais que suficiente para cumprir o mercado português de água de garrafão. Qualidade e quantidade não vão faltar. Nós queremos continuar o nosso crescimento na casa dos 10 por cento em volume, todos os anos, e no mercado doméstico continuar com a mesma expansão, no mínimo para os próximos cinco anos", explicou Carreteiro.A Nestlé Waters Direct, que comercializa a marca Selda/Bebágua, prevê que o investimento na nova fábrica poderá "alavancar a médio prazo" a entrada no mercado espanhol. "Em Portugal, em cada 10 garrafões bebidos em empresas, seis são nossos", frisou Alexandre Carreteiro, sublinhando a "aposta no mercado das máquinas domésticas", com garrafões de 11 litros e 18,9 litros e a possibilidade de, "a médio prazo, colocar uma linha de águas em garrafas de 1,5 litros, meio-litro e 0,33 litros", para o mercado ibérico.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo