Economia | 25-02-2009 08:06

Comerciantes de Torres Novas não aceitam perda de estacionamento

Os comerciantes do centro histórico de Torres Novas estão preocupados com a decisão da câmara municipal em realizar obras de remodelação na praça 5 de Outubro e no estacionamento Almonda Parque, junto à Rodoviária do Tejo, que vão implicar o desaparecimento de muitos lugares de estacionamento aí existentes. Os comerciantes concordam que as obras - que devem arrancar, em simultâneo, em Março - sejam realizadas. O problema é que a autarquia pretende criar uma zona pedonal na praça 5 de Outubro e reduzir substancialmente o parqueamento automóvel nos dois principais parques de estacionamento do centro histórico de Torres Novas. E os estacionamentos que vão continuar passam a ser pagos.Para os comerciantes, esta é a pior solução uma vez que, dizem, o comércio que já está a atravessar dias difíceis vai morrer. “Estes são os principais parques de estacionamento que ligam os cidadãos ao centro histórico da cidade. Não existem outros locais para estacionar aqui perto. O centro precisa de pessoas e sem o estacionamento a zona histórica vai morrer completamente. Vamos assistir ao fecho de mais lojas”, lamenta Pedro Gameiro, proprietário do café e restaurante Seven In, na praça 5 de Outubro. “De que nos vale termos espaços bonitos se não temos pessoas para usufruírem deles. É o que vai acontecer nesta zona”, acrescenta.Para Rosa Gameiro, comerciante no centro histórico há cerca de 18 anos, as obras que vão começar em breve não vão melhorar nada e vão prejudicar os comerciantes. “Imagino que não deve ser fácil, mas se vão avançar com obras por que não criar parques de estacionamento subterrâneos? Tornaria o centro da cidade mais bonito mas com locais para as pessoas poderem deixar as viaturas e, ao mesmo tempo, usufruírem de uma zona que deve ser para as pessoas”, considera a lojista.“Da forma como o senhor presidente está a pensar fazer as coisas não é a melhor solução. Se as coisas já não estão bem com esta decisão vão ficar ainda pior e o comércio do centro histórico tende a desaparecer. Sem estacionamento, as pessoas criam outros hábitos e vão para outros locais. O presidente devia pensar nos comerciantes”, continua Rosa Gameiro.A mesma opinião é partilhada por Paulo Vasconcellos, solicitador com gabinete na praça 5 de Outubro. Para o solicitador esta é uma situação prejudicial não só para o comércio como para empresas e instituições bancárias com escritórios na zona. “Existe uma grande lacuna nos estacionamentos em Torres Novas. Este da praça 5 de Outubro e o Almonda Parque são os únicos. Sem eles perde-se a ligação à zona mais antiga da cidade. Além disso, não existe uma rede de transportes eficaz que possa trazer e levar as pessoas ao centro da cidade. É necessário remodelar mas também criar soluções à população senão o centro histórico de Torres Novas vai tornar-se numa cidade fantasma”, afirma o solicitador.O MIRANTE contactou a Câmara de Torres Novas para obter a sua posição sobre o assunto. Até ao fecho desta edição não foi possível recolher qualquer comentário.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo