Economia | 07-05-2009 08:21

Comerciantes do mercado de Alverca reclamam melhores condições

Os comerciantes do mercado municipal de Alverca do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira, reclamam melhores condições de trabalho e pedem por isso para que sejam realizadas obras no espaço. A falta de estacionamento é igualmente um problema que preocupa quem trabalha há décadas no local.Quem entra no espaço encontra pedras antigas de mármore onde os comerciantes vendem os legumes e a fruta. O tecto falso não ajuda a proteger da chuva nem do calor e as infiltrações e as fissuras nas paredes são visíveis. “Em termos de trabalho as condições são mínimas”, confessa Carlos Dias, que explora a única banca de peixe existente no mercado. Natural de Moscavide, 44 anos, há mais de 20 que vende peixe no mercado municipal de Alverca. Paga 250 euros de renda mensal e gasta cinco sacos de gelo diariamente. Ao fim de cinco dias são 75 euros só para gelo. “O mercado do Choupal tem uma câmara com gelo para guardar o peixe. Aqui não tenho nada”, lamenta o comerciante.O estacionamento é um problema e a confusão aumenta principalmente ao sábado, dia de maior afluência ao mercado. “Estacionamento simplesmente não existe. Assim as pessoas vão para as grandes superfícies”, garante o vendedor de peixe.Do outro lado do mercado está Rosário Duarte na banca de produtos secos. Tem 51 anos e há mais de 17 que trabalha no mercado municipal. A falta de condições e de estacionamento são os problemas que denuncia. “Quando chove cai água aqui dentro. Se é verão faz calor. A fruta fresca amadurece rapidamente e deteriora-se. Temos que lavar as mãos com frequência, não temos torneiras suficientes para o fazer”, revela a vendedora. A última intervenção realizada no espaço, ao nível da pintura, durante o ano passado, não foi suficiente. A comerciante acredita que poderiam ter sido criadas melhores condições. “Se isso acontecesse talvez o fraco negócio melhorasse”, conclui Rosário Duarte.“Não vejo sobrevivência para este mercado. O que sustenta isto são pessoas já reformadas”, revela com tristeza Joaquina Sampaio que vende fruta e legumes há 33 anos. Quanto ao que podia ser feito para melhorar as condições a resposta é clara. “O telhado mete água. Não temos uma bancada de inox e continuamos com as pedras antigas de há 50 anos, apesar de terem aspecto de asseio” afirma a comerciante, também desiludida com o facto de o negócio não estar a correr bem.O presidente da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo tem conhecimento da situação do mercado municipal de Alverca e só espera uma visita dos técnicos da autarquia de Vila Franca de Xira para se fazer uma avaliação em conjunto sobre as obras que devem ser desenvolvidas no mercado.“Temos programada uma verba para as obras. No ano passado fez-se uma intervenção de grande monta no mercado do Choupal e este ano, se houver colaboração da autarquia, vamos fazer obras no mercado municipal”, garante Afonso Costa. Está previsto o encerramento do mercado durante o mês de Agosto.No que diz respeito ao trânsito, o autarca não tem muitas alternativas. “Não se pode fazer mais. Está numa área urbana com limitações de espaço É uma zona com muito comércio e não há estacionamento em redor do mercado”, afirma o autarca que recorda no entanto que existe um parque de estacionamento a cerca de 300 metros do mercado.Quanto à possibilidade de se criar um mercado único em Alverca com maiores e melhores acessibilidades num outro local da cidade o presidente da junta é claro na resposta. “Neste momento não é uma questão prioritária”, concluiu.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo