Economia | 19-05-2009 08:36

Trabalhadores da Platex estão concentrados frente à empresa desde ontem de manhã

Uma centena de trabalhadores da Indústria de Fibras de Madeira (IFM/Platex), de Tomar, está concentrada desde ontem de manhã na entrada da empresa para impedir a entrada e saída de camiões com material, informou fonte sindical.A empresa parou a laboração a 11 de Abril, por falta de matéria-prima, e deve o salário desse mês aos 226 trabalhadores, referiu o coordenador distrital de Santarém do Sindicato da Construção, Madeiras, Mármores e Cortiças do Sul, Aquilino Coelho.O sindicalista adiantou que o protesto, que começou pacificamente às 11h30, visa também pressionar o Ministério da Economia a dar uma resposta quanto à viabilidade económica IFM/Platex."Os trabalhadores querem saber se há dinheiro ou não para a empresa retomar a laboração e querem o salário de Abril que está em atraso. Há duas semanas, a empresa garantiu que pagava uma parte do salário e, na semana passada, o resto mas não cumpriu", contou Aquilino Coelho, acrescentando que a administração da IFM esteve ausente ontem da fábrica.Segundo o dirigente, encontra-se de prevenção no local um carro-patrulha da PSP, apesar de a manifestação dos trabalhadores decorrer sem incidentes.Para esta terça-feira à tarde está agendada, a pedido da Câmara Municipal de Tomar, uma reunião com representantes sindicais para tentar desbloquear a situação na empresa.A IFM/Platex, única no género no País e uma das maiores da Europa, de acordo com o mesmo sindicalista, produz contraplacado de madeira, usado em portas interiores de habitações.O presidente do conselho de administração da IFM, Jorge Themudo Barata, manifestou que espera que, até ao fim de Maio, seja encontrada uma solução que permita não só dar liquidez à empresa mas também aligeirar compromissos, nomeadamente com a banca.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo